Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Fantástico mostrou

Dom Aldo e outros quatro sacerdotes são acusados de exploração sexual na Arquidiocese da PB

A Arquidiocese da Paraíba foi condenada a pagar indenização de R$ 12 milhões, uma decisão inédita no Brasil.

Dom Aldo e outros três sacerdotes são acusados de exploração sexual na Arquidiocese da PB (Foto: Walla Santos/ClickPB)

Por

A reportagem do Fantástico mostrou que o ex-Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, os padres Rui Braga, Jaelson e Severino Melo e o monsenhor Ednaldo seriam os sacerdotes investigados nos casos de exploração sexual que tramitam no Ministério Público do Trabalho da Paraíba (MPT-PB). A Arquidiocese da Paraíba foi condenada a pagar indenização de R$ 12 milhões, uma decisão inédita no Brasil.

O procurador Eduardo Varandas falou ao Fantástico que no processo consta que os sacerdotes pagavam lanches e em dinheiro para fazer sexo com coroinhas e com flanelinhas que ficavam em frente ao prédio da Arquidiocese da Paraíba.

Um dos entrevistados, um ex-seminarista, disse ao Fantástico que Dom Aldo lhe fez uma proposta: "Por que você não aproveita que estamos aqui só nós dois e fazemos aquilo que é melhor para os dois?"

Toda a denúncia foi motivada pela carta de uma frequentadora da Igreja Católica na Paraíba, em que ela relatava o que ouviu sobre o envolvimento dos padres com os jovens. Ela contou que muitos eram apelidados, por exemplo, de 'Louca da Diocese', 'Monja Vanessa'.

Os religiosos negaram as acusações quando indagados pela Justiça. A Arquidiocese do estado enviou nota ao Fantástico dizendo que não comenta os aspectos do processo judicial. Dom Aldo disse que não participaria da reportagem e respondeu que os padres acusados de pedofilia foram inocentados em 2017.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Brumadinho ainda tem 37 desaparecidos, três meses após rompimento da barragem da Vale

Carlos Bolsonaro veta acesso de Jair Bolsonaro ao Twitter

Ministra do STF suspende decisão que permitia terapia da ‘cura gay’

Após assalto, idosa de 81 anos espancada por bandidos morre no Maranhão