Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Ex-esposa traiu Bolsonaro com segurança e perdeu comando da rachadinha, diz ex-funcionário

A informação foi dada pelo ex-funcionário da família, Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, em entrevista ao colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Presidente repassou comando do esquema das rachadinhas após descobrir traição de Ana Cristina Siqueira Valle (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)

Por

A ex-esposa de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle, traiu o presidente quando eles eram casados. Quando Bolsonaro descobriu o caso entre a mulher e um segurança particular dele, decidiu repassar o comando do esquema de rachadinha para os filhos mais velhos: Flavio e Carlos Bolsonaro.

A informação foi dada pelo ex-funcionário da família, Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, em entrevista ao colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Em entrevista ao portal, Marcelo dos Santos revelou ter sido testemunha de vários golpes dados por Ana Cristina – entre eles, o esquema que rachadinha nos gabinetes de Flavio e Carlos. Isso durou até 2007, quando Bolsonaro pediu o divórcio.

Marcelo disse ao colunista Guilherme Amado que Ana Cristina Siqueira Valle traía Bolsonaro com o segurança da família, o bombeiro militar Luiz Cláudio Teixeira. Ele era responsável por fazer a escolta dos Bolsonaro no Rio de Janeiro.

“Aí já estava aquela guerra dos meninos [Flávio e Carlos] pressionando ele porque ela comandava a rachadinha no gabinete deles. Já estava esse clima tenso. Aí veio a história da traição”, declarou.

Foi também quando Bolsonaro descobriu a traição que Marcelo deixou o cargo que tinha no gabinete de Flávio Bolsonaro. “Porque ela era muito chegada a mim, não tinha amigos de verdade, então a gente saía junto, eu que ia com ela para as festas e coisa e tal. Então, quando ela começou a ficar com o Luiz, eu já comecei a ficar meio assim, porque o Bolsonaro sempre confiou muito em mim. Até em relação ao Jair Renan também, nos finais de semana eu ia dormir lá na casa deles. Quando Bolsonaro ia para Brasília, ele me pedia para dormir na casa lá. Então foi nesse período que eu dormia lá que ela começou a botar o Luiz para dentro de casa”, relatou Marcelo.

O ex-funcionário da família afirmou que ficou em situação complicada, por ser próximo tanto de Jair Bolsonaro quanto de Ana Cristina Siqueira Valle. “E mesmo assim, depois da separação, eu fui o único que fiquei do lado dela. Lógico, ela não tinha porra nenhuma, quem era o cara era ele. Eu fui o único otário que fui acompanhar ela, e mesmo assim me sinto injustiçado porque ela nunca me deu valor por isso”, afirmou.

Ao UOL, Marcelo disse que Ana Cristina queria “escraviza-lo”. A patroa sugeriu que ele morasse na casa com ela e Jair Renan, em Brasília, recebendo um salário menor que o combinado. Foi esse desentendimento que levou o ex-funcionário da família a revelar o esquema.

O próprio Marcelo assumiu que fazia parte do esquema da rachadinha no gabinete de Flávio. Segundo o ex-funcionário, ele chegava a devolver 80% do salário para a família.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

DJ Ivis tem liberdade concedida pela Justiça cearense após ser preso por agressão à ex-mulher Pamella Holanda

Filiação de Moro ao Podemos é marcada para 10 de novembro

Governo deve se reunir com caminhoneiros na próxima semana

Guedes diz que ala política fez pescaria e sondou colocar Mansueto no seu lugar