Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Caso Remis

Ex-secretário suspeito de matar pré-candidato a vereador se entrega em MG

Jorge Marra, que é irmão do prefeito de Patrocínio, Deiró Marra, apresentou-se acompanhado por advogados e seria ouvido em seguida pelos delegados que comandam a investigação.

De acordo com a Polícia Civil, os advogados dele comunicaram informalmente na sexta-feira (25) que Jorge Marra iria se entregar espontaneamente após ter a prisão preventiva decretada pela polícia um dia após o crime. (Foto: Reprodução/Vídeo)

Por

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - O ex-secretário da cidade de Obras de Patrocínio (MG) Jorge Marra (PTB), suspeito de matar a tiros na última quinta-feira (24) o pré-candidato a vereador Cássio Remis (PSDB), entregou-se na tarde deste domingo (27) à Polícia Civil de Minas Gerais.

Jorge Marra, que é irmão do prefeito de Patrocínio, Deiró Marra (DEM), apresentou-se acompanhado por advogados e seria ouvido em seguida pelos delegados que comandam a investigação.

Saiba mais

Vídeo mostra momento em que candidato a vereador é assassinado em Patrocínio

De acordo com a Polícia Civil, os advogados dele comunicaram informalmente na sexta-feira (25) que Jorge Marra iria se entregar espontaneamente após ter a prisão preventiva decretada pela polícia um dia após o crime.

O carro do suspeito e a arma possivelmente utilizados no crime foram encontrados na sexta na garagem da casa de um político em Perdizes, a 64 km de Patrocínio. O veículo passa por perícia.

Durante a tarde da última quinta (24), enquanto fazia uma live denunciando uma obra realizada pela Prefeitura de Patrocínio, Cássio Remis foi interrompido pelo então secretário de Obras, Jorge Marra, que chegou em uma caminhonete branca e tomou o celular do político.

"Tá aqui o secretário. Chegaram aqui para me agredir, entendeu? Não pega meu telefone!", falou o pré-candidato antes de ter o celular tomado.

Em outro vídeo, é possível ver o secretário saindo com o veículo e Remis na frente do carro tentando impedir que o celular fosse levado. Depois disso, o pré-candidato tentou entrar na Secretaria de Obras para recuperar o aparelho, momento no qual foi baleado.

A reportagem teve acesso a imagens de circuito de segurança em que é possível ver uma confusão até que o suspeito saca a arma e corre atrás da vítima atirando.

O prefeito Deiró Marra se pronunciou no dia do crime. "Nós lamentamos tudo que aconteceu, essa sequência de fatos -absolutamente, eu diria, injustificáveis- que culminaram com a morte do vereador Cássio Remis", declarou Deiró.

Em consideração à trajetória de Remis, a prefeitura decretou luto de três dias. Jorge Marra foi exonerado do cargo no dia seguinte ao crime.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

TSE repassou ao WhatsApp 1.020 denúncias de disparo em massa nas eleições

Bolsonaro anuncia revogação de decreto sobre privatização de postos de saúde do SUS

Empresário é preso após amarrar morador de rua em carro e arrastá-lo até a morte em São Luís

Oposição reage contra decreto que estuda gestão privada de unidades básicas de saúde