Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Filho de Luiz Gushiken delata o PT e conta detalhes sobre propina

Os depoimentos de seu filho narram, em detalhes, reuniões sobre pagamentos de propinas ao PT e já subsidiaram uma denúncia do MPF que envolve esquemas no Petros.

Guilherme Gushiken, filho de Luiz Gushiken (Foto: Reprodução)

Por

Guilherme Gushiken, filho de Luiz Gushiken – um dos fundadores do PT e ex-ministro de Lula –, fechou delação premiada no âmbito da Operação Greenfield, que investiga fraudes nos fundos de pensão. A informação é do Antagonista.

Luiz Gushiken morreu em 2013. Os depoimentos de seu filho narram, em detalhes, reuniões sobre pagamentos de propinas ao PT e já subsidiaram uma denúncia do MPF que envolve esquemas no Petros, o fundo de pensão dos servidores da Petrobras.

De acordo com a Gazeta do Povo, o Ministério Público Federal em Brasília apresentou e a Justiça acatou denúncia contra um dos controladores da empreiteira Camargo Correia por corrupção ativa, gestão fraudulenta desvio e lavagem de dinheiro no âmbito da operação Greenfield, que investiga fraudes em fundos de pensão.

No total, oito pessoas se tornaram rés no caso que envolve o pagamento milionário de propinas a dirigentes do fundo de pensão dos servidores da Petrobras, a Petros, para que concordassem com a compra de papéis superfaturados.

A investigação contou com a colaboração dos delatores Joesley Batista, Antonio Palocci e Guilherme Gushiken. Este último, filho de Luiz Gushiken, fundador do PT e ex-ministro de Luiz Inácio Lula da Silva, teve seu acordo de delação homologado ainda em setembro de 2019, mas teve o acordo mantido em sigilo conforme reportagem da revista Crusoé.

Morto em 2013, Gushiken sempre negou envolvimento com irregularidades, mas, na delação, o filho narra a participação dele na articulação e recebimento de vantagens indevidas.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Ricardo Eletro fecha todas as lojas e pede recuperação judicial

Bolsonaro foi preponderante para termos 100 mil mortes por Covid, diz Mandetta

Congresso e STF decretam luto em homenagem aos 100 mil brasileiros mortos de Covid-19

Bispo Edir Macedo é investigado pelo MPF por declaração sobre coronavírus