Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Governo do DF decreta estado de calamidade pública por causa da Covid-19

A medida consta de decreto publicado nesta manhã no Diário Oficial pelo governador Ibaneis Rocha (MDB).

O Distrito Federal registra atualmente 44,9 mil casos do novo coronavírus. Um total de 548 pessoas morreram em decorrência da doença. (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo do Distrito Federal decretou nesta segunda-feira (29) estado de calamidade pública por causa da evolução recente dos casos confirmados e mortes decorrentes do novo coronavírus.

A medida consta de decreto publicado nesta manhã no Diário Oficial pelo governador Ibaneis Rocha (MDB).

Informalmente, o Palácio do Buriti trata a decretação do estado de calamidade pública apenas como uma medida formal, para ter acesso a recursos federais para combater a pandemia.

No entanto, o quadro no Distrito Federal vem se deteriorando semanalmente, após indícios de que a situação estaria controlada na capital federal.

O Distrito Federal registra atualmente 44,9 mil casos do novo coronavírus. Um total de 548 pessoas morreram em decorrência da doença.

O Distrito Federal foi uma das primeiras unidades da federação atingidas pelo novo coronavírus. A gestão de Ibaneis Rocha também foi uma das primeiras a implementar uma grande política de distanciamento social, fechando o comércio, bares, restaurantes e escolas.

Ainda no início de abril, o Ministério da Saúde classificou o Distrito Federal e mais quatro estados como possivelmente estando na fase de aceleração descontrolada do vírus.

Os índices, no entanto, passaram a crescer em uma velocidade menor que outros estados, dando a impressão que o surto estaria controlado. No início de maio, a ocupação de leitos públicos exclusivos para a Covid estava em 25%.

O governo, então, começou a promover a abertura gradual de suas atividades. Ao mesmo tempo, lançou um grande programa de testagem para a Covid, se tornando modelo no país.

Com a abertura, no entanto, a situação voltou a piorar. Mesmo aumentando semana a semana a quantidade de leitos exclusivos para a Covid, com suporte de ventilação mecânica, a ocupação dessas unidades públicas agora está perto de 70%.

A situação também é considerada grave porque a rede particular mostra estar perto do colapso. Os leitos particulares exclusivos para a Covi-19 apresentam ocupação de 92% nesta segunda-feira, enquanto as UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) registram 75% de ocupação.

No fim de semana, em um áudio divulgado pelo site Antagonista, atribuído ao cirurgião-geral do Hospital de Base, Lucas Seixas, é informado que o sistema público e privado estão perto do colapso, além de que há falta de medicamentos para tratar os pacientes.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

"Ninguém vive dessa forma", diz Bolsonaro sobre prorrogar auxílio emergencial

Brasil registra mais de 50 mil casos de Covid-19 em um dia, mostra consórcio de imprensa

Vacinação contra a Covid-19 vai começar com profissionais de saúde, idosos e indígenas

Dono de bar vende veneno em vez de bebida, e dois clientes morrem no Ceará