Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Governo estuda projeto para zerar PIS/Cofins da gasolina, diz Bolsonaro

Questionado se a medida seria suficiente para a alta dos combustíveis, ocasionada pela guerra na Ucrânia, Bolsonaro disse que não.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse neste sábado (12) que o governo estuda mandar um projeto de lei para o Congresso na próxima semana zerando o PIS/Cofins para a gasolina.

Na noite de sexta-feira (11), ele sancionou proposta que zerava o tributo e o ICMS para gás de cozinha e diesel até o final de 2022, ano eleitoral. Questionado se a medida seria suficiente para a alta dos combustíveis, ocasionada pela guerra na Ucrânia, Bolsonaro disse que não.

"Estava previsto fazer algo semelhante com a gasolina, o Senado resolveu mudar na última hora, caso contrário nós teríamos um desconto também na gasolina, que está bastante alta. Estudo a possibilidade de projeto de lei complementar, com pedido de urgência, estudo, né, para gente fazer a mesma coisa com a gasolina", disse o presidente.

Bolsonaro disse ainda haver a possibilidade de mandar na próxima semana a proposta. Segundo contou, conversou com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para saber o quanto a alta na gasolina influencia na inflação.

As declarações foram feitas a jornalistas em frente à sede do seu partido, PL, onde participou da filiação de deputados federais bolsonaristas.

O chefe do Executivo relatou sua insatisfação com o mega-aumento no preço dos combustíveis feito pela Petrobras nesta semana.

Questionado se o presidente da estatal, general Silva e Luna, poderia ser trocado, disse: "Todo mundo tem possibilidade de ser trocado, exceto o vice-presidente e o presidente da República".

Depois emendou: "Ninguém falou em trocar [o comando da Petrobras]. Você [jornalista] falou se ele pode ser trocado. Qualquer um pode ser trocado no meu governo menos eu, logicamente, e o vice-presidente."

Bolsonaro disse ainda que dá palpites e faz sugestões diretamente a Silva e Luna, mas negou que seja interferência. "São sugestões apenas".

Para ele, a Petrobras tem "lucro absurdo", num momento "atípico" no mundo. O presidente voltou a se queixar da política de preços da companhia, que disse não entender.

Nesta semana, ele havia indicado mudança no cálculo, chamado de PPI. Hoje, ele descartou fazê-la por "canetada".

"A política de preço você pode estudar isso daí. Lá atrás fizeram, no começo do governo Temer, a PPI, paridade com o preço internacional. É coisa que ninguém entende, né?".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Goiás anuncia redução no ICMS e preço da gasolina pode cair R$ 0,85 no estado

Dono de padaria mata padeiro a facadas após ele chegar atrasado no trabalho, diz polícia

Escândalo do MEC: Cármen Lúcia manda PGR se manifestar sobre pedido de investigação de Bolsonaro

‘É inimaginável. Não quero falar dele’, diz filho de casal morto em apartamento sobre o ex, preso pelo crime