Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Investigação contra Flávio Bolsonaro depende de nova denúncia, decide ministro do STJ

Noronha cita como exemplo os sigilos bancário e fiscal de Flávio, que haviam chegaram a ser quebrados, mas foram restaurados por decisão do STJ.

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O ministro João Otávio de Noronha, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), decidiu que o MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) deverá apresentar nova denúncia contra o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) para que as investigações do caso da "rachadinha" tenham prosseguimento.

O magistrado afirmou que, como a corte determinou a anulação de provas coletadas no processo, o MP-RJ terá que apresentar nova acusação baseada apenas nos elementos que não foram invalidados pela Justiça.

Noronha já foi elogiado publicamente por Bolsonaro, que disse que teve um "amor à primeira vista" com o magistrado.

A decisão do ministro atende pedido da defesa de Fabrício Queiroz, que é acusado de ser o operador do suposto esquema de arrecadação de salário de servidores do gabinete de Flávio quando era deputado estadual.

"Não há, em verdade, como se preservar a denúncia com a exclusão das informações que se ancoram, direta ou indiretamente, nas provas anuladas; muito menos como se exigir dos réus que identifiquem os trechos relativos a provas anuladas e os ignorem, apresentado defesa sobre o que entendam 'sobrar' daquela peça imprestável", disse.

Noronha cita como exemplo os sigilos bancário e fiscal de Flávio, que haviam chegaram a ser quebrados, mas foram restaurados por decisão do STJ.

"Não merece guarida, portanto, a singela explicação de que a mera exclusão das peças indicadas pelo Ministério Público Estadual dos autos seria suficiente a garantir a regularidade do feito", afirmou.

O ministro afirma que a denúncia não vincula diretamente os fatos supostamente delituosos às provas específicas coletadas no processo, o que impede as defesas de saber quais pontos da acusação deve rebater e quais foram anulados."

A peça acusatória descreve um panorama de funcionamento de uma suposta organização criminosa, traçado a partir de conclusões advindas da análise de todas as provas carreadas ao processo, sem especificar, em muitas das narrações realizadas, quais elementos de prova estaria especificamente considerando como premissa do raciocínio", disse.

Esta é mais uma decisão favorável a Flávio dada pelo STJ enquanto o STF (Supremo Tribunal Federal) não julga o recurso do MP-RJ que pede para a investigação retornar para as mãos do juiz de primeira instância Flávio Itabaiana, que vinha dando decisões duras contra o filho do presidente no processo.

A ação que trata do tema chegou ao STF em junho de 2020 e teve julgamento marcado na Segunda Turma em duas oportunidades, mas foi retirada de pauta a pedido da defesa.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2022 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Moraes será relator de ação contra Bolsonaro sobre varíola dos macacos no STF

Quase 500 crianças são registradas por dia sem o nome do pai no Brasil

Prêmio da Mega-Sena vai para quatro apostadores e cada bilhete ganhador vai receber mais de R$ 6 milhões

Dia dos Pais: entenda origem da data no Brasil e no mundo