Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Ministros e centrais sindicais fecham acordo para mínimo de R$ 380

Os ministros Luiz Marinho (Trabalho) e Nelson Machado (Previdência) fecharam nesta madrugada com as centrais sindicais um acordo para reajustar o salário mínimo

Por

Os ministros Luiz Marinho (Trabalho) e Nelson Machado (Previdência) fecharam nesta madrugada com as centrais sindicais um acordo para reajustar o salário mínimo de R$ 350 para R$ 380.

O aumento, de 8,6%, será antecipado em um mês e entrará em vigor em março de 2007 neste ano foi em abril. A data de vigência será antecipada em um mês a cada ano até que entre em vigor no mês de janeiro em 2010.

Sindicalistas e ministros definiram também uma política de valorização do salário mínimo. Até 2010 o salário mínimo será reajustado com base na inflação mais o PIB (Produto Interno Bruto).

O acordo prevê ainda a correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física em 4,6%, percentual acima dos 3% acertados anteriormente entre governo e o relator do Orçamento, Valdir Raupp (PMDB-RO). Esse percentual de 3% já foi inclusive aprovado na Câmara e o ministro Guido Mantega (Fazenda) informou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetaria eventuais modificações.

De acordo com Marinho, as propostas serão encaminhadas a Lula hoje para que ele dê a "palavra final". Depois desse aval, as propostas serão incorporadas ao Orçamento da União para 2007. O recesso dos parlamentares só pode começar após a aprovação do Orçamento.

No início da madrugada desta quarta-feira foi encerrada a terceira reunião entre o governo e centrais sindicais.

No início das negociações, as centrais sindicais reivindicam o reajuste do mínimo para R$ 420, um aumento de 20%, e a correção da tabela em 7,7%. O relator do Orçamento trabalhava com R$ 375 (7,1%) e reajuste da tabela de 3%.

Já Mantega disse que o valor correto seria R$ 367 (4,86%), valor que levaria em conta a inflação corrigida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) mais a variação do PIB (Produto Interno Bruto) per capita. No entanto, em anos anteriores, o governo já havia dado reajustes maiores que o previsto na regra.

Para a Força Sindical, a negociação foi positiva porque foi conquistado aumento real e também pela definição de uma proposta de recuperação do salário mínimo.

Nas contas do Executivo, a cada R$ 1 de reajuste no mínimo, o governo tem um gasto entre R$ 190 milhões e R$ 200 milhões ao ano. Hoje, mais de 15 milhões de beneficiários da Previdência recebem o mínimo. Além disso, ele serve também como referência para outros gastos do governo, como salário desemprego e Loas (Lei Orgânica de Assistência Social). 


Fonte:
Folha Online

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Homem usa drone para disparar fogos de artifício em festa barulhenta

"Brasil precisa de quimioterapia para que não pereça", diz Bolsonaro

Reforma da Previdência já tem 42 dos 49 votos para aprovação no Senado

Mulher que empurrou Padre Marcelo diz que a intenção era conversar e não agredir