Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Seguidores de Olavo de Carvalho ficam contra Regina Duarte no dia da posse

Bolsonaristas e olavistas não estão satisfeitos com a ex-atriz, já que a hashtag #ForaRegina está nos trends topics do Twitter

Regina Duarte e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa / Agência O Globo)

Por

Após 45 dias de "namoro", a atriz Regina Duarte assume nesta quarta-feira (4) a secretaria da Cultura do governo Jair Bolsonaro.

Antes de assumir o posto, a atriz demitiu seis olavistas que foram nomeados pelo ex-secretário, Roberto Alvim, em cargos comissionados e permaneceram nos cargos mesmo com demissão do diretor teatral após apologia ao nazismo.

Na manhã desta quarta-feira (4), a hasthag #ForaRegina estava nos trending topics do Twitter.

Na mira da ex-global, Sergio Nascimento Camargo, presidente da Fundação Palmares, se reuniu nesta terça-feira (3) com Bolsonaro e arrancou uma foto no Twitter como garantia de que permanece no posto mesmo a contragosto da chefe.

Também olavista, que nega que haja racismo no Brasil, Nascimento disse ao jornal O Estado de S.Paulo que Regina Duarte pediu sua demissão, que teria sido negada por Bolsonaro e pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio.

Ele afirmou que não vai à posse e já abriu uma linha de combate com a atriz. “Regina quer abrir diálogo com o movimento negro. Digo que é ingenuidade, para ser gentil”, disse.

Demitidos

Ao menos outros 15 olavistas que ocupam cargos comissionados na Secretaria de Cultura, que foram alçados por Alvim, não foram convidados para a posse e foram demitidos.

À Folha de S.Paulo, Camilo Calandreli – que se define como “bolsonarista, olavista e patriota” – , demitido da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, afirmou que não tem nada a dizer, mas que “a carta branca quem deu a ela foi o presidente [Bolsonaro]”.

Os outros demitidos são: Reynaldo Campanatti (secretário da Economia Criativa), Gislaine Targa (chefe de gabinete da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura), Raquel Brugnera (chefe de Gabinete da Secretaria da Economia Criativa), Ednagela Santos (diretora do Departamento de Promoção da Diversidade Cultural) e Ricardo Freire Vasconcellos (diretor do Sistema Nacional de Cultura).

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Médicos brasileiros levarão pele de tilápia para tratar queimaduras de feridos no Líbano

Veja vídeo: Entregador de aplicativo sofre ofensas racistas em condomínio de São Paulo

ICMBio reabre amanhã o Parque Nacional de Jericoacoara, no Ceará

Extrato bancário de Queiroz revela novos repasses à primeira-dama e não registra empréstimo de Bolsonaro