Brasília

Senador Veneziano critica tese de anistia aos presos do 8 de janeiro em Brasília: “não tem cabimento”

O senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) criticou a ideia de anistiar os presos acusados de participarem dos atos em Brasília, no dia 8 de janeiro, e, 2022.

Veneziano

O senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) criticou a ideia de anistiar os presos acusados de participarem dos atos em Brasília, no dia 8 de janeiro, e, 2022.  Para o senador da república, os envolvidos devem ser julgados com imparcialidade da justiça pelos crimes cometidos durante a depredação ao Congresso Nacional.

Segundo Veneziano Vital, a tese de anistia aos acusados de cometerem os crimes no 8/1 é inconcebível. Para o parlamentar, a população não tem ideia dos estragos provocados pelos baderneiros na capital federal.

A declaração do senador Veneziano Vital foi repercutida no programa Arapuan Verdade FM, durante edição desta segunda-feira (26), comandado pelo jornalista e apresentador Clilson Júnior.

“Não tem cabimento, as situações provocadas por eles foi muito grave. Nós precisamos mostrar para a opinião pública. As vezes eu lamento que muitos brasileiros não tenham ideia de que de fato foi promovido em 2022”, disse Veneziano Vital.

Leia também:

Bolsonaro defende anistia para presos do 8 de janeiro durante ato na Avenida Paulista

Cabo Gilberto participa de ato Bolsonarista e destaca presença de apoiadores: “mais de 120 deputados federais, senadores e 4 governadores”

Marcelo Queiroga não descarta aliança com União Brasil e Novo já no primeiro turno em João Pessoa

Assista ao programa Arapuan Verdade FM

COMPARTILHE

Bombando em Brasil

1

Brasil

‘Inflação do churrasco’: Cerveja fica mais cara e pesa no bolso do brasileiro

2

Brasil

Embaixador de Israel diz estar desapontado por Brasil não “condenar” ataque do Irã a Israel

3

Brasil

Policial militar é encontrado morto dentro de mala de carro no Rio de Janeiro

4

Brasil

Escritora faz primeiro post após ataque de pitbulls e diz que está bem

5

Brasil

Avô é preso suspeito de estuprar neta para ‘curá-la’ de sua orientação sexual em Minas Gerais