Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Carros

Editoria sobre Carros ir para editoria →

Mudança

Superintendente do Detran-PB diz que estados buscam se adequar a nova lei que dá brecha para que carros não sejam guinchados

Sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, a nova regra 'perdoa' condutores com um prazo de 15 dias para regularizar os veículos.

Isaías Gualberto considera um retrocesso a mudança e disse ao ClickPB que isso pode comprometer a segurança no trânsito. Ele destacou também que, internamente, o Detran-PB já discute a aplicação da nova norma. (Foto: Walla Santos/ClickPB/Arquivo)

Por

O superintendente do Detran-PB, Isaías Gualberto, informou ao ClickPB que os Detrans dos estados estão buscando se adequar à nova lei que dá brecha para que carros não sejam guinchados, em casos de irregularidades. Sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, a nova regra 'perdoa' condutores com um prazo de 15 dias para regularizar os veículos.

Essa tolerância vale somente para casos em que não haja comprometimento da segurança do veículo, como os com ausência de uma ou duas placas, placas apagadas ou sem visibilidade, lacres ou numeração de chassi violados ou ausentes.

Saiba mais

Isaías Gualberto considera um retrocesso a mudança e disse ao ClickPB que isso pode comprometer a segurança no trânsito. Ele destacou também que, internamente, o Detran-PB já discute a aplicação da nova norma.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Usuário denuncia cobrança da Uber de quase R$ 1.000 por viagem que custaria menos de R$ 50 dentro de João Pessoa

Governo permite que redução do IPI incida sobre veículos em estoque

Honda City Hatch já pode ser reservado no Brasil por R$ 114 mil

Falta de peças e alta de juros reduzem expectativas do setor automotivo para 2022