Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Polêmica

Com beijo gay, 'Eternos' da Marvel é banido da Arábia Saudita, Catar e Kuwait

O burburinho se deve à aparição do primeiro super-herói gay do Universo Cinematográfico Marvel (MCU), o personagem Phastos (Brian Tyree Henry), e seu marido Ben (Haaz Sleiman).

Filme "Eternals", da Marvel, lançado em 2021. (Foto: Divulgação)

Por

O novo filme da Marvel "Eternos", que chega às telas brasileiras nesta semana, não será exibido na Arábia Saudita, no Catar e no Kuwait, segundo o jornal americano The Hollywood Reporter. 

O filme, que deveria ser lançado na região do Golfo em 11 de novembro, teria recebido uma série de pedidos de edição pela censura local, mas a Disney não estava disposta a fazer tais mudanças. Uma rede regional de cinemas explicou que a obra foi "banida", mas disse que não haviam sido informados do motivo.

De acordo com fontes do jornal, o burburinho se deve à aparição do primeiro super-herói gay do Universo Cinematográfico Marvel (MCU), o personagem Phastos (Brian Tyree Henry), e seu marido Ben (Haaz Sleiman). Em uma cena, os dois se beijam apaixonadamente.

De acordo com Nate Moore, produtor do longa-metragem dirigido por Chloé Zhao (do premiado "Nomadland"), a equipe responsável pela obra quis abordar o tema de forma natural, para que a sexualidade não se transformasse no "tópico central" do personagem, como ele diz.

No entanto, a homossexualidade ainda é oficialmente ilegal em todo o Golfo, e filmes que toquem em questões LGBTQ são frequentemente banidos. No ano passado, o título "Avante", da Pixar, foi retirado de lançamento no Kuwait, Omã, Catar e Arábia Saudita por uma única linha que referia um relacionamento lésbico.

Na pré-estreia de "Eternos", em Los Angeles (abrilhantada pela presença de Gil do Vigor), o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, disse à revista “Variety”: "Tivemos super-heróis gays nos quadrinhos antes, e acho que já passou da hora de isso acontecer nos filmes. É só o começo". O longa tem também a primeira super-heroína com surdez, Makkari, vivida pela atriz com deficiência auditiva Lauren Ridloff, de “The Walking dead”.

Quem são os eternos

O Universo Marvel ganha mais dez personagens, que estreiam com o lançamento de "Eternos", parte da quarta fase do MCU. A produção aposta em um time de estrelas, liderado por Angelina Jolie, Salma Hayek, Richard Madden e Kit Harington. Também estão no elenco Gemma Chan, Kumail Nanjiani, Lauren Ridloff, Lia McHugh, Don Lee e Barry Keoghan.

Os Eternos são alienígenas superpoderosos que apareceram pela primeira vez nos quadrinhos da Marvel em 1976. Sua história está ligada ao surgimento dos primeiros habitantes da Terra, quando se deu a visita dos Celestiais, deuses cósmicos que originaram os Eternos a partir de experimentos.

Desde então, os Eternos estiveram presentes entre os humanos, mantendo em segredo sua verdadeira natureza, mas auxiliando a evolução da vida dos homens na terra em diversas atividades – culturais, espirituais e de cultivo de alimentos.

O silêncio de quase 7 mil anos dos Eternos, no entanto, será quebrado por conta dos acontecimentos de “Vingadores: Ultimato” (2019). Os seres milenares decidem deixar o anonimato para proteger a Terra da ameaça dos Deviantes, alienígenas predadores que são o resultado de experimentos dos Celestiais que deram errado.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Oscar 2022 voltará a ter um único apresentador

Ben Affleck diz que 'Liga da Justiça' foi a pior experiência da sua vida

Brasil registra mais de 53 mil casos de Covid, em 24 h

Morre Sidney Poitier, primeiro ator negro a ganhar o Oscar