Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Oscar

Jon Batiste, da trilha de 'Soul', chega ao Oscar e defende raiz negra do jazz

Aos 34 anos, o músico de Nova Orleans passou por um longo trajeto até ser finalista à estatueta e estabelecer seu nome no circuito de jazz contemporâneo.

O músico americano Jon Batiste (Foto: Louis Browne / Divulgação)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — Ouvir os discos de Jon Batiste é mais ou menos como montar uma playlist num serviço de streaming — dentro de uma mesma lógica, a seleção pode conter músicas de diferentes estilos. 

No caso do pianista e cantor americano, a ênfase ficaria no jazz, mas teriam espaço também o soul, o pop, o hip-hop e até mesmo o gospel.

Mas, segundo Batiste, que concorre neste mês a um Oscar pela trilha sonora da animação "Soul" e acaba de lançar um novo disco de estúdio chamado "We Are", com músicas passeando por todos os estilos lembrados aqui, gêneros musicais não existem.

"O que existe é a herança, a cultura e o espírito de uma pessoa. Jazz é a manifestação da herança do povo negro e da herança dos Estados Unidos", argumenta. "É muito triste que tenhamos limitado nossos produtos criativos baseados nessas categorias. E acho que isso é algo importante para mim, como criador, contrariar."

Aos 34 anos, o músico de Nova Orleans passou por um longo trajeto até ser finalista à estatueta e estabelecer seu nome no circuito de jazz contemporâneo. Enquanto se formava na escola de música Juilliard, em Nova York, tocava no metrô e nas ruas da cidade com sua banda Stay Human, que mais tarde passaria a integrar o talk show "The Late Show with Stephen Colbert", o mais popular dos Estados Unidos.

Batiste conta que a trilha sonora de "Soul" -primeira animação da Pixar com um protagonista negro- foi feita de maneira inovadora. Embora estivesse em contato constante com os produtores do filme, ele não tinha o roteiro enquanto compunha as músicas, e em alguns casos as faixas eram escritas antes mesmo das cenas serem finalizadas. Em geral, conta o músico, as imagens ficam prontas antes e a música é acrescentada num segundo momento.

Enquanto compunha a trilha sonora, câmeras registravam o movimento de suas mãos ao piano, e um miniteclado capturava as notas que tocava, ele conta. Isto tudo foi incorporado ao filme. Quando o protagonista Joe, um professor que sonha em ser pianista de jazz de uma banda famosa, ensina seus alunos a tocar piano, o espectador vê as mãos do próprio Batiste em versão de desenho animado.

"Houve cenas em que eu estava tocando e falando e eles usaram meus diálogos no roteiro", acrescenta, esclarecendo que também atuou como consultor dos diretores Pete Docter e Kemp Powers no desenvolvimento do personagem principal.

Batiste divide as músicas da animação com Trent Reznor e Atticus Ross, dupla ganhadora do Oscar pela trilha sonora de "A Rede Social", em 2011. As faixas compostas pelos músicos do Nine Inch Nails são atmosféricas e algo homogêneas, como era de se esperar, e funcionam como um acessório à parte do pianista, sublinhando cenas menos relevantes do roteiro. De todo modo, o trio já levou para casa um Globo de Ouro neste ano pela trilha de "Soul".

O pianista está agora criando a trilha sonora e ajudando a escrever o roteiro de um musical para a Broadway sobre a vida do grafiteiro Jean-Michel Basquiat, acrescentando que se inspirou também na família do artista.

O ícone dos anos 1980 e amigo de Keith Haring estava na intersecção da música, da pintura e da cultura de sua época, afirma Batiste, lembrando em seguida que "de maneira triste, ele se autodestruiu no momento em que estava alcançando o entendimento completo de quem era, indo em busca de seus ancestrais".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Ator de 'Máquina Mortífera' e outros sucessos de Hollywood morre aos 55 anos

Jane Powell, atriz de musicais como 'Sete noivas para sete irmãos', morre aos 92 anos

Michael Constantine, ator de 'Casamento Grego', morre aos 94 anos

Família de ator encontrado morto acredita que ele pode ter sido assassinado