Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Patrimônio

O Brasil está sem seus álbuns de família, diz Kleber Mendonça Filho sobre incêndio na Cinemateca

"Esses arquivos exigem cuidados diários. A Cultura brasileira deve ser estimulada e guardada pelo próprio país, isso está na Constituição", acrescenta.

O cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — "O Brasil está sem seus álbuns de família", afirmou à reportagem o cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho, diretor de filmes como "Bacurau", "Aquarius" e "O Som ao Redor", sobre o incêndio que atingiu o galpão da Cinemateca Brasileira nesta quinta-feira (29). O espaço fica localizado na Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo.

"Esses arquivos exigem cuidados diários. A Cultura brasileira deve ser estimulada e guardada pelo próprio país, isso está na Constituição", acrescenta.

No começo de julho, durante o Festival de Cannes, Mendonça chamou atenção para a crise na instituição sob o governo Jair Bolsonaro e convocou a comunidade cinéfila a cobrar o governo federal pelo descaso.

"A Cinemateca Brasileira foi fechada de um ano para cá. [Tem] 90 mil títulos, 230 mil rolos de filmes e programas de TV. Todos os técnicos e especialistas foram demitidos. É uma demonstração de desprezo pela cultura e pelo cinema, e acho que deveria mencionar isso porque estamos em um festival, todos amamos o cinema. E [a Cinemateca] é um templo de preservação. Muitos amigos não brasileiros me perguntam o que podem fazer. Eu digo: escrevam, falem sobre isso, chamem o governo e perguntem por que estão fazendo isso", disse.

O cineasta diz que não sente diferente "das dezenas de colegas que vêm falando a mesma coisa". Ele lembra que "toda a comunidade vem alertando ao longo do último ano. Esses arquivos exigem cuidados diários".

Nas redes sociais, Mendonça escreveu que o incêndio nem parece um acidente.

Segundo os primeiros relatos sobre o incêndio, o fogo teria consumido quatro toneladas de documentos que remontam a história das políticas públicas do cinema brasileiro, desde o Instituto Nacional do Cinema, criado nos anos 1960, até a atual Secretaria Nacional do Audiovisual, passando pelo Conselho Nacional de Cinema e por parte da história da Embrafilme.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

'Deserto Particular', representante brasileiro ao Oscar 2022, estará na próxima edição do Fest Aruanda

Filmes de 2022 têm estreias adiadas: veja novo calendário da Marvel e da Disney

Aplicativo de João Pessoa oferece 50% de desconto no cinema todos os dias

'Deserto particular' é indicado pelo Brasil para disputar vaga no Oscar 2022