Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Aline Lins

Editora geral do Portal ClickPB.

ver coluna →

Caso Manoel Junior: Constituição Federal veda acumulação de dois mandatos eletivos

Fala-se que uma mudança na Lei Orgânica de João Pessoa permitiria Manoel Junior assumir o mandato de vice-prefeito sem perder o mandato de deputado federal. Mas a questão extrapola o poder da Câmara Municipal de João Pessoa

Manoel Junior tem que decidir entre mandatos (Foto: Walla Santos)

Para ser suscinta, não existe alteração que seja feita à Lei Orgânica do Município de João Pessoa que autorize o vice-prefeito eleito Manoel Junior (PMDB) a assumir o mandato sem perder a cadeira na Câmara dos Deputados. A questão extrapola o poder da Câmara Municipal de João Pessoa. Para assumir como vice-prefeito, não tem jeito, Manoel Junior teria que renunciar ao mandato de deputado federal, perdendo, assim, o foro privilegiado.

A mudança teria que acontecer na Constituição Federal, o que é improvável, até 1º de janeiro de 2017.

A vedação está no Art. 54, inciso I, alínea 'd', da Constituição Federal de 1988. "Os Deputados e Senadores não poderão: desde a expedição do diploma, ser titulares de mais de um cargo ou mandato público eletivo". Vice-prefeito é mandato público eletivo, assim como deputado federal é mandato, concedidos, ambos, por meio de eleições.

Os cargos do Art. 54 diferem dos cargos previstos no Art. 56 da CF, que trata de cargos ad nutum, que são aqueles de livre nomeação e exoneração.

O Art. 56 da CF prevê que não perderá o mandato o deputado ou senador "investido no cargo de Ministro de Estado, Governador de Território, Secretário de Estado, do Distrito Federal, de Território, de Prefeitura de Capital ou chefe de missão diplomática temporária". Atenção para o grifo.

Mesmo que a Lei Orgânica de João Pessoa fosse alterada para dar ao cargo de vice-prefeito o status de secretário da Capital, como elenca o referido artigo constitucional, não funcionaria para autorizar a acumulação, porque o cargo de vice-prefeito decorre de uma eleição, não se trata de qualquer cargo.

Apesar de tudo isso, a assessoria jurídica do deputado está trabalhando no tema. Se não houver uma saída jurídica, Manoel Junior deverá abdicar do cargo de vice e ficar mesmo por Brasília ou, quem sabe, acumular o cargo de deputado federal com uma secretaria municipal. Aí pode.

Comentários (0)

Comentar

Destaques da Coluna

ver coluna →

Falta pouco para liberação da "vaquinha" dos pré-candidatos às eleições gerais

Corregedoria do MP investiga promotor do Júri com fama de que "com ele ninguém é condenado"

Haja fezes: Sudema acusa prefeituras por esgoto em praias e aponta coliformes fecais na orla de JP

Aeronáutica interdita o Aeroclube no Bessa