Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Aline Lins

Editora geral do Portal ClickPB.

ver coluna →

Corregedoria do MP investiga promotor do Júri com fama de que "com ele ninguém é condenado"

A denúncia desencadeou uma correição extraordinária na comarca localizada na Região Metropolitana de João Pessoa. Caso já é de conhecimento da cúpula do Ministério Público.

Conselho Superior do Ministério Público já tem conhecimento do fato (Foto: Walla Santos)

Por

A Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba (MPPB) apura denúncia de suposta omissão por parte de um promotor de Justiça de um dos municípios que integram a Região Metropolitana de João Pessoa, e que também atua no Júri. Chegou ao conhecimento da cúpula do MPPB que, quando o promotor de Justiça se afasta da comarca, advogados pedem adiamento dos seus processos. Motivo: a fama do ilustre membro do órgão ministerial seria a de que "com ele ninguém é condenado". 

Em um tempo de intervenção federal no Rio de Janeiro e enquanto o assunto do momento na Paraíba também é segurança pública, criminosos não podem sair impunes por omissão de agentes pagos pela sociedade para zelar pela aplicação da lei e defender a sociedade.

A denúncia desencadeou uma correição extraordinária na comarca. A investigação está sob a responsabilidade do corregedor-geral, Luciano Maracajá, mas já é de conhecimento da maioria dos procuradores de Justiça da Paraíba. A questão altamente preocupante é ainda mais grave por envolver o Júri.

O nome do promotor de Justiça não será aqui divulgado, para que não haja juízo de valor antecipado sobre um caso que ainda está sob investigação. Os promotores corregedores foram à comarca e todos os processos judiciais e extrajudiciais com atribuição do promotor estão sendo levantados. O corregedor Luciano Maracajá se comprometeu em apurar os fatos e levar o resultado para o Conselho Superior do Ministério Público. Vamos aguardar.  


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaques da Coluna

ver coluna →

Juíza suspende licitação da Zona Azul de João Pessoa

TCE confirma que Leto Viana recebeu R$ 43 mil este ano referentes a salários de assistente administrativo

Mesmo preso, cargo de assistente administrativo em Cabedelo rende a Leto R$ 43.129,44 em janeiro e fevereiro

Empresa alvo da PF vai receber da Prefeitura de Campina R$ 2,99 milhões ​para fazer o São João 2019