Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cultura

Editoria sobre Cultura ir para editoria →

Cinema

Debates e lançamento de livro marcam último dia do Fest Aruanda

Festival se encerra oficialmente nesta quarta, mas debates ainda seguem na quinta

Nesta edição, o Fest Aruanda festejou o centenário do cinema paraibano, cujo marco são as primeiras atividades cinematográficas realizadas na Paraíba (Foto: Reprodução)

Por

A quarta-feira do 14º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro começou com debates em torno dos curtas e longas-metragens apresentados na terça-feira, no Cinépolis Manaíra Shopping. 

As discussões se deram no Hotel Aram, com a participação de diretores, atores e produtores desses filmes e a moderação de Amilton Pinheiro e Maria do Rosário Caetano. 

Também aconteceram dois painéis e o lançamento de um livro. Com chancela da UFPB e patrocínio do Grupo Energisa, Cagepa e Armazém Paraíba, via Lei Federal de Incentivos do Ministério da Cidadania, o Fest Aruanda vai até o dia 4 de dezembro, com entrada franca em todos os dias.

O Diálogos Audiovisuais I discutiu os curtas dessa terça-feira, sob a moderação de Amilton Pinheiro, curador e diretor artístico do Fest Aruanda. Depois, na segunda parte dos Diálogos, sob a moderação de Maria do Rosário Caetano, foram debatidos os longas-metragens da noite anterior: o documentário “Giocondo Dias,k ilustre clandestino”, de Vladimir Carvalho (PB) e “Pacificado”, de Paxton Winters (BR/EUA). 

Os atores Bukassa Kabengele e Débora Nascimento e os produtores Paula Linhares e Marcos Tellechea, do filme “Pacificado”, além do próprio Vladimir Carvalho, participaram da mesa de discussões.

A terceira parte da programação foi o painel com o ator Flávio Bauraqui e o cineasta João Batista de Andrade. Ambos falaram de suas andanças pelos caminhos difíceis, mas, ao mesmo tempo, ricos e prazerosos do cinema brasileiro. João Batista ressaltou que viver no Brasil é viver de sonho e pesadelo – e que, na realidade atual, estamos passando pela segunda dessas ideias antagônicas. 

Já Bauraqui contou a sua trajetória, desde o início difícil e cheio de rejeições racistas, e falou do seu amadurecimento como artista. 

“O futuro que eu quero é que todos nós, negros, tenhamos o poder de escrever e produzir, para que tenhamos a nossa visão espelhada na arte”, ressaltou.

A quarta-feira também foi de encerramento da oficina “Preservação de acervos audiovisuais e a importância da tecnologia na era digital, com José Maria Pereira Lopes, coordenador do Cedoc da TV Cultura (FPA) e ex-coordenador do acervo de cinema do MIS/SP.

Painel – A quarta e última parte dos debates aconteceu no Cinépolis Manaíra Shopping, com o painel Mulheres por trás das Câmeras – A produção paraibana revisitada, com Luísa Lusvarghi, Ana Bárbara Ramos, Patrícia de Aquino, Vânia Perazzo, Ana Isaura, Cristiane Fragoso e Virgínia de Oliveira Silva. 

Também aconteceu o lançamento do livro “Mulheres atrás das câmaras: as cineastas brasileiras de 1930 a 2018”, organizado por Luiza Lusvarghi e Camila Vieira Silva. 

As discussões aconteceram logo depois da sessão especial “Mostra Paraíba, feminina!”, que exibiu seis curtas-metragens de realizadoras paraibanas.

Último encontro – O 14º Fest Aruanda se encerra nesta quarta-feira à noite, mas ainda terá uma manhã de debates, nesta quinta-feira (5), no Hotel Aram, a partir das 10h. 

Haverá uma mesa sobre o filme de encerramento, com a participação de Glorinha Gadelha (compositora), Thiago Mattar (cineasta e realizador desse filme), Jotabê Medeiros (crítico musical/Carta Capital) e Silvio Osias (jornalista/CBN/Jornal da Paraíba/João Pessoa/PB), com a moderação de Maria do Rosário Caetano. 

Nesta edição, o Fest Aruanda festejou o centenário do cinema paraibano, cujo marco são as primeiras atividades cinematográficas realizadas na Paraíba, em 1919, pelo cineasta Walfredo Rodriguez.

Serviço

14° Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro

Debates e painéis sobre os filmes exibidos e temas do meio audiovisual

Hotel Aram Beach & Convention – João Pessoa

A partir das 10h

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Elba Ramalho e Karol Conka comandam primeiros shows do aniversário de São Paulo

Pabllo Vittar não quis se defender sobre restrição de idade em vídeo, diz Conar

'Nem deveria estar vivo', diz Justin Bieber aos fãs durante apresentação

Funesc realiza edição especial do Espaço da Criança com atividades gratuitas