Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cultura

Editoria sobre Cultura ir para editoria →

Literatura

Representando a Paraíba, W.J. Solha e Maria Valéria Rezende são finalistas do Prêmio Jabuti 2020

W. J. Solha concorre na categoria Poesia, enquanto Maria Valéria Rezende concorre na categoria Romance Literário.

Maria Valéria Rezende é finalista do Prêmio Jabuti mais uma vez (Foto: Reprodução)

Por

Dois escritores radicados na Paraíba são finalistas do Prêmio Jabuti este ano. W.J. Solha concorre na categoria Poesia com o livro ''Vida aberta - Tratado poético filosófico''. Já Maria Valéria Rezende concorre na categoria Romance Literário, com o livro ''Carta à rainha louca''.

Cada um deles concorre com outros nove escritores, uma vez que o prêmio seleciona dez finalistas para cada categoria.

O Prêmio Jabuti é o mais tradicional prêmio literário do Brasil e é concedido pela Câmara Brasileira do Livro desde 1959, completando 62 anos de existência em 2020.

Waldemar José Solha, ou W.J. Solha, como é mais conhecido, nasceu em Sorocaba, em São Paulo, mas radicou-se na Paraíba desde 1962, onde atua como escritor e ator. Ele chegou a atuar no filme A Canga, que é uma adaptação do romance homônimo escrito por ele e levado às telas de cinema pelo cineasta Marcus Vilar.

W.J. Solha já recebeu o Prêmio João Cabral de Melo Neto 2005 como melhor livro de poesia do ano anterior por ''Trigal com corvos'', e o Prêmio Graciliano Ramos 2006 por "História Universal da Angústia", pelo qual também foi finalista do Prêmio Jabuti 2006. 

Maria Valéria Rezende nasceu em Santos, São Paulo, mas mora na Paraíba desde 1976. Ela estreou na literatura em 2001, com o livro Vasto Mundo. Ganhou o Prêmio Jabuti de 2009 na categoria literatura infantil com No risco do caracol, em 2013, categoria juvenil, com Ouro dentro da cabeça e em 2015 nas categorias romance e Livro do Ano de Ficção, com Quarenta dias.

Em janeiro de 2017, recebeu o Prémio Casa de las Américas pelo livro Outros Cantos, e, pelo mesmo romance, ganhou o Prêmio São Paulo de Literatura e o terceiro lugar no Prêmio Jabuti em novembro de 2017. É uma das idealizadoras do coletivo literário feminista Mulherio das Letras.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Biblioteca Nacional premia contos de Jarid Arraes e romance de Menalton Braff

Após recomendação de suspensão de eventos com aglomeração, Prefeitura de Campina Grande converte programação do Natal Iluminado em lives

Cantora gospel é agredida pelo marido em shopping

Cantor Louro Santos será sepultado às 13h desta segunda-feira, em Pernambuco