Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

Economia

Petrobras reduz gasolina em 12% e diesel em 7,5% a partir de quinta-feira

No último ajuste, a petroleira estatal reduziu o preço da gasolina em 9,5% e o do diesel em 6,5%, em 13 de março.

Os cortes de preços da petroleira estatal refletem a política que segue o princípio da paridade de importação, que leva em conta preços no mercado internacional mais os custos de importadores, como transporte e taxas portuárias, com impacto também do câmb (Foto: Reprodução)

Por

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina em suas refinarias em 12% e o do diesel em 7,5% a partir de quinta-feira, informou a petroleira à Reuters, em meio a um mergulho das cotações do petróleo e derivados por impactos da expansão do coronavírus e de uma guerra de preços entre grandes produtores.

Com os novos cortes, a queda acumulada de ambos os combustíveis da Petrobras —responsável por quase 100% da capacidade de refino do país — somará cerca de 30% em 2020, de acordo com informações da petroleira estatal e cálculos da Reuters.

Os preços do petróleo Brent já caíram mais de 60% neste ano, sendo negociados nesta quarta-feira a cerca de 25 dólares o barril, com a redução da demanda devido ao coronavírus e uma pressão da Arábia Saudita para aumentar a produção após o colapso de um acordo entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados para conter a oferta.

No último ajuste, a petroleira estatal reduziu o preço da gasolina em 9,5% e o do diesel em 6,5%, em 13 de março.

O chefe da área de óleo e gás da consultoria INTL FCStone, Thadeu Silva, pontuou que a janela de importação segue aberta, mesmo após o ajuste da petroleira.

"Segue a estratégia de suavizar os movimentos do mercado internacional, repassando aos poucos a queda, o que preserva a margem e evita novos reajustes no caso de uma retomada", afirmou o especialista.

Os cortes de preços da petroleira estatal refletem a política que segue o princípio da paridade de importação, que leva em conta preços no mercado internacional mais os custos de importadores, como transporte e taxas portuárias, com impacto também do câmbio.

O repasse de ajustes dos combustíveis nas refinarias para o consumidor final nos postos não é imediato e depende de diversos fatores, como consumo de estoques, impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio Emergencial: Caixa libera saques e transferências dos aprovados no terceiro lote nascidos em março

Dólar é cotado a R$ 5,3833 nesta quarta-feira

Petrobras eleva novamente preço da gasolina nas refinarias

João Azevêdo diz que espera por avanço de cidades em flexibilização do comércio, mas destaca que modelo de bandeiras precisa ser respeitado