Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Educação

Editoria sobre Educação ir para editoria →

Reordenamento

Após pressão, projeto do MEC que visava criar Instituto Federal do Sertão a partir de campi do IFPB é descartado

O instituto havia se posicionado contra o projeto do MEC por entender que não havia estudo suficiente para mensurar os eventuais ganhos para a sociedade em geral com o reordenamento.

Campus do IFPB em Cajazeiras formaria, junto a outros campi, um novo insituto federal no Sertão da Paraíba, como previa o MEC.

Por

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou nesta quarta-feira (20) durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados que o projeto de reordenamento do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) foi excluído dos planos de expansão que estava sendo elaborado pela pasta.

O plano envolvia criar o Instituto Federal no Sertão da Paraíba (ISPB) a partir dos desmembramento dos campi de Cajazeiras, Catolé do Rocha, Itaporanga, Patos, Princesa Isabel, Santa Luzia e Sousa, que atualmente são parte do IFPB. Com a exclusão da Paraíba e outros estados, apenas seis de dez institutos do projeto original vão ser mantidos.

O IFPB, em diálogo com diversos setores internos, havia se posicionado contra o projeto do MEC por entender que não havia estudo suficiente para mensurar os eventuais ganhos para a sociedade em geral com o reordenamento. 

Em contato com o ClickPB, a pró-reitora de Ensino do IFPB, Mary Roberta, afirmou que houve uma consulta pública à comunidade através dos seus órgãos colegiados, como o Conselho Diretor dos Campi, o Colégio de Dirigentes, o Conselho Superior e entidades estudantis e sindicais, e um ofício chegou a ser encaminhado ao ministério com o posicionamento do instituto.

"A Reitoria sempre respeitou o sentimento da comunidade. Haja vista a exiguidade de tempo e considerando que estamos diante de uma proposta densa, estrutural, profunda que mexe com a vida das pessoas, a Reitoria acionou os canais de diálogo com todos os segmentos. O IFPB segue em frente", disse o reitor Nicácio Lopes.

Entretanto, o deputado Wilson Santiago (PTB), na audiência com o ministro, criticou a decisão e afirmou que vai recolher assinaturas dos 15 integrantes da bancada federal paraibana para reforçar e cobrar a execução do projeto.

"Infelizmente fomos surpreendidos pelos próprios reitores que sugeriram reduzir a quantidade com justificativas que não nos convence. Não podemos concordar com isso e vamos nos unir para atender à reivindicação da população paraibana", lamentou o deputado.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

UFPB institui programa de auxílio financeiro a estudantes de pós-graduação

Governo Federal formaliza, em solenidade, adesão das escolas cívico-militares; Paraíba tem três unidades

Enem 2021: candidatos que estavam com Covid no domingo poderão refazer 1ª prova em janeiro

Surto de Covid-19 é investigado na Unipê e instituição suspende atividades presenciais