Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Educação

Editoria sobre Educação ir para editoria →

Educação

Com atraso, MEC anuncia pacote de internet a alunos pobres de universidades e institutos federais

Só alunos carentes de universidades e institutos federais serão atendidos pela iniciativa.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, participou da abertura de uma entrevista à imprensa transmitida pela internet nesta segunda. Na pasta há um mês, ele reconheceu que o governo atrasou. (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Quase cinco meses após o início do fechamento de universidades federais por causa da pandemia de coronavírus, o MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta segunda-feira (17) um programa para levar internet a 400 mil estudantes pobres e viabilizar acesso ao ensino remoto.

Só alunos carentes de universidades e institutos federais serão atendidos pela iniciativa.

Alunos de escolas estaduais e municipais não contam, portanto, com apoio do governo Jair Bolsonaro (sem partido). Apesar de eleger a educação básica como prioridade, o MEC não tem nenhuma linha de financiamento para a etapa nem acompanha ações tocadas por estados e municípios durante a pandemia.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, participou da abertura de uma entrevista à imprensa transmitida pela internet nesta segunda. Na pasta há um mês, ele reconheceu que o governo atrasou.

"Houve um delay para tomarmos essa iniciativa", disse. "O percurso administrativo que as coisas públicas possuem, toda nossa burocracia interna, nos torna um pouco mais lentos. Foi uma das causas para que a gente tenha demorado um pouco mais do que seria razoável".

Ribeiro falou por cerca de cinco minutos e depois deixou o encontro, tocado por técnicos da pasta. Não se disponibilizou para ouvir e responder perguntas de jornalistas.

O projeto, com orçamento de R$ 24 milhões, envolve o pagamento de pacotes de dados de internet, de 5GB a 40GB, para estudantes. As universidades e institutos federais é que vão selecionar os alunos.

São considerados em condição vulnerabilidade aqueles estudantes com renda familiar de até 1,5 salário mínimo per capita. Esse perfil reúne 900 mil alunos na rede federal.

Dessa forma, os 400 mil estudantes que devem ser beneficiados com a iniciativa vão representar 44% desse público. Segundo o MEC, serão privilegiados os alunos mais carentes, com renda familiar de até meio salário mínimo per capita.

A pasta informa que o programa vai durar durante o decreto de calamidade pública, que vence em dezembro. As aulas passaram a ser interrompidas nas instituições de ensino, em todo Brasil, em março.

Das 69 universidades federais, 25 já estão em aulas remotas, segundo o MEC. Há o registro, nessas instituições, de 72 mil estudantes em vulnerabilidade elegíveis para o projeto.
Eles devem começar a ser atendidos imediatamente, ainda de acordo com o MEC, e o restante assim que atividades remotas passarem a ser retomadas.

Estados e municípios concentram a grande maioria de matrículas da educação básica e cabe ao MEC apoio técnico financeiro ás redes, o que praticamente não tem ocorrido durante a pandemia.

A rede de instituto federais agregam ensino superior e educação básica, mas o total de vagas representa menos de 1% das 38 milhões de matrículas da rede pública.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Aulas presenciais para o 1º ano do ensino médio podem ser retomadas a partir desta segunda-feira em João Pessoa

IFPB prorroga período de inscrições para cursos superiores e oferta 1.570 vagas

Terminam hoje as inscrições para processo seletivo com 1.570 vagas para cursos superiores no IFPB

IFPB abre inscrições de seleção especial com 558 vagas para cursos superiores