Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Esporte

Editoria sobre Esporte ir para editoria →

Esporte

Brasil é ouro em mundiais de Ginástica Artística e Boxe

Arthur Nory e Bia Ferreira conquistam medalhas importantes

Atual vice-campeão pan-americano, Arthur Nory completou com precisão a série na barra fixa e deu show ao executar acrobacias de grande dificuldade (Foto: WOLFGANG RATTAY)

Por

O último domingo (13) foi especial para dois atletas brasileiros. O ginasta Arthur Nory, de 26 anos, conquistou o título na barra fixa do Mundial de Ginástica Artística, em Stuttgart (Alemanha). E a pugilista Bia Ferreira, de 27 anos, também fez história ao conquistar o título na categoria até 60 Kg do Mundial de Boxe, em Ulan-Ude (Rússia).

Atual vice-campeão pan-americano, Arthur Nory completou com precisão a série na barra fixa e deu show ao executar acrobacias de grande dificuldade, alcançando a nota mais alta (14,900 pontos) no aparelho. 

Ele ficou bem acima do segundo colocado, o croata Tin Srbic (14,666 pontos), campeão mundial em 2017. O russo Artur Dalaloyan (14,533 pontos) ficou com o bronze. 

O ouro conquistado por Nory foi a única medalha do Brasil no Mundial. No masculino, o país conseguiu apenas a classificação por equipes. Já a equipe feminina terá que lutar por uma vaga. A exceção é Flávia Saraiva, com vaga assegurada em Tóquio no individual geral.

Ouro no Boxe

A pugilista Beatriz Ferreira, atual campeã pan-americana e uma das principais apostas para os Jogos de Tóquio 2020, subiu no lugar mais alto do pódio na categoria até 60 Kg do Mundial de Boxe. A brasileira venceu de forma incontestável a chinesa Cong Wang.

A competição, organizada pela Associação Internacional de Boxe (AIBA), não é classificatória para Tóquio 2020, mas vale como termômetro da preparação da atleta, que ainda busca uma vaga na principal competição esportiva do planeta. 

A pugilista terá duas chances para garantir uma vaga em Tóquio 2020. A primeira é no Pré-Olímpico das Américas, em março de 2020 em Buenos Aires, e a segunda é no Pré-Olímpico Mundial, em maio do mesmo ano.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Piloto de Stock Car Tuka Rocha morre aos 36 anos após acidente aéreo na Bahia

Brasil termina Mundial de Atletismo Paralímpico na inédita 2ª colocação no quadro de medalhas

Brasil joga mal e perde para Argentina

Vereadora de João Pessoa é campeã brasileira de basquete no Rio de Janeiro