Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Esporte

Editoria sobre Esporte ir para editoria →

Copa do Mundo 2014

Brasil enfrenta a Sérvia hoje em último amistoso antes da Copa

Residente em São Paulo, técnico é trunfo do Brasil para iniciar fase "paz e amor" com a torcida paulista, que, sem representantes atuais, terá chance de rever a

Por

Luiz Felipe Scolari disse que São Paulo é sua casa. Agora ele quer transformar São Paulo na casa da seleção brasileira, pelo menos até dia 12 de junho. O técnico não vê a hora de dirigir a equipe na cidade onde escolheu morar. Gaúcho de nascimento, paulistano por opção, Felipão já comandou o Brasil em Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza, Salvador - mas nunca na capital paulista. Nesta sexta-feira, às 16h, contra a Sérvia, finalmente terá sua primeira vez.

O amistoso é o último da Seleção antes da estreia na Copa do Mundo, seis dias depois, do outro lado da mesma cidade que até hoje mantém relação de amor e ódio com a equipe verde e amarela. Felipão e seus 23 jogadores estão determinados a apagar de vez as lembranças de vaias e bandeiras atiradas ao campo.

- Quando se escolhe uma cidade para jogar a seis dias da Copa, a mesma onde vamos estrear, é porque temos confiança que esse torcedor vai nos ajudar a superar as dificuldades. Se a história diz que São Paulo é arredia à Seleção, é hora de mudar essa história. Vamos fazer de São Paulo nossa casa a partir de agora - afirmou Felipão, que admitiu também não ter tido opção de escolher outro palco diante do desejo do presidente da CBF, José Maria Marin.

Em solo brasileiro e no comando da Seleção, o técnico ostenta retrospecto invejável: 15 vitórias, dois empates e uma derrota, justamente em sua despedida após o penta, em 2002. Foram 56 gols a favor (média de 3,1 por jogo) e só nove contra.

Jogar em São Paulo com a seleção brasileira também tem peso especial para alguns jogadores. Uns para matar a saudade, outros que buscam algum tipo de reconciliação. Hoje não há atletas de times paulistas entre os convocados, mas há vários "ex". Ex-Corinthians, ex-Palmeiras, ex-Santos, ex-São Paulo.

São Paulo também foi privilegiada com dois jogos da Seleção. É hora de recebermos esse carinho e também de darmos ao torcedor. Se tivermos dedicação, eles estarão ao nosso lado. Estou feliz por voltar, São Paulo é minha casa"
Luiz Felipe Scolari

Willian, por exemplo. O meia deixou o Corinthians em meio ao triste ano de 2007, quando o clube caiu para a segunda divisão do Brasileiro. Foi vendido por uma fortuna para o futebol da Ucrânia, e deixou no ar a sensação de que poderia ter evitado o rebaixamento se tivesse ficado. 

O santista tem a chance hoje de matar a saudade de Neymar. Com ele no time, o Santos acumulou glórias e dinheiro como há muito não se via - ganhou a primeira Libertadores desde a era Pelé, para resumir. Guardadas as devidas proporções, o são-paulino pode se reencontrar com Hernanes, peça-chave na última fase de brilho do tricolor - o tricampeonato brasileiro entre 2006 e 2008, e o palmeirense vai rever Henrique, capitão da última conquista de elite, a Copa do Brasil de 2012.

Durante toda a semana, os jogadores pediram paciência. Há no grupo a sensação de que, se o mau início do último amistoso contra o Panamá, em Goiânia, se repetir em São Paulo, o público não será tão conivente, e as vaias virão bem mais rapidamente.

- O público vai precisar ter bastante paciência. Não quero mudar a forma de o povo torcer, só dar uma dica do que poderá acontecer. O outro time vai estar fechado e só com o apoio da torcida seremos campeões do mundo - disse o zagueiro Dante.

Depois do amistoso, o Brasil entrará na fase final de preparação para a estreia da Copa, dia 12, contra a Croácia, na Arena Corinthians. México e Camarões completam o grupo A.

FICHA TÉCNICA

Brasil
Julio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar (Willian); Hulk, Neymar e Fred. 
Técnico: Luiz Felipe Scolari  

Sérvia   
Stojkovic, Basta, Mitrovic, Ivanovic e Kolarov; Tosic, Tadic, Gudelj, Matic e Markovic; Dordevic. 
Técnico: Ljubinko Drulovic 

Data: 06/06/2014 (sexta-feira) 
Horário: 16h (de Brasília) 
Local: estádio Morumbi, em São Paulo (SP) 
Árbitro: Enrique Cáceres (Fifa-PAR) 
Auxiliares: Darío Gaona e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai) 
Transmissão: a TV Globo, o SporTV e o GloboEsporte.com exibem a partida ao vivo. O site também acompanha em Tempo Real.  

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Fifa vai antecipar em um dia data de início da Copa do Mundo

Nike proíbe nomes de Lula, Bolsonaro e 'mito' na camisa da seleção brasileira para a Copa

Botafogo-PB empata com Figueirense em 1 a 1 pela Série C do Campeonato Brasileiro

Camisa azul da seleção esgota em uma hora no site de vendas