Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Esporte

Editoria sobre Esporte ir para editoria →

Esporte

Morre jornalista Sérgio Noronha aos 87 anos

Ex-comentarista da Globo sofria do Mal de Alzheimer e teve uma parada cardíaca nesta sexta-feira. Clubes e antigos companheiros de imprensa lamentam falecimento e prestam homenagens

Sergio Noronha, ex-Comentarista da TV Globo (Foto: Divulgação)

Por

Morreu nesta sexta-feira, aos 87 anos, o jornalista Sérgio Noronha, ex-comentarista que trabalhou durante muitos anos na TV Globo e na Rádio Globo. Ele sofria do Mal de Alzheimer e estava internado há 10 dias no Hospital Rio Laranjeiras, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde sofreu uma parada cardíaca.

A informação foi confirmada pelo Retiro dos Artistas e pelo amigo Arnaldo Cezar Coelho, companheiro de trabalho de longa data do comentarista e que o ajudava a se manter na instituição que abriga artistas idosos em dificuldade financeira. Ele não tinha parentes próximos no Rio.

Torcedor do Vasco, Noronha teve uma pneumonia no Retiro dos Artistas e ficou internado sete dias no CTI do hospital. Na última quinta-feira, ele foi transferido para o quarto, mas passou mal e teve uma parada cardíaca. Ainda não há informações sobre velório e enterro.

Galvão Bueno, que dividiu a cobertura dos jogos da Copa do Mundo de 1982 na Espanha com Sérgio Noronha, fez um agradecimento público ao amigo:

– A imprensa brasileira perdeu um dos grandes nomes de toda a sua história. Eu, pessoalmente, perdi um grande amigo e um mestre. Faço sempre questão de frisar a parceria que fiz com Sérgio Noronha na Copa do Mundo de 82 na Espanha na Rede Globo. Ali, aprendi muito. Noronha me ensinou a ser um profissional mais completo e uma pessoa humana muito melhor. Que Deus o receba com muito amor e muito carinho, "Seu Nonô".

Ex-comentarista de arbitragem da TV Globo, Arnaldo Cezar Coelho se emocionou ao lembrar do amigo:

– Perdi um amigo (chora). Conheci Seu Nonô quando ele jogava futebol na Urca na década de 60. Ele era o cara que sentava no paredão e ficava me pressionando quando era juiz. Ali conheci ele. Depois ele foi para o Jornal do Brasil, Rádio Globo... A vida toda foi meu companheiro, um parceiro de vida toda de frequentar a minha casa.

José Carlos Araújo, que também trabalhou com Noronha, lamentou o falecimento e elogiou o amigo:

– Um do maiores talentos que conheci no jornalismo esportivo. O melhor texto que já vi. Um profissional completo. Era um homem multimídia numa época que era difícil ser. O último emprego dele fui eu que consegui, na TV Bandeirantes. Era aparentemente mal-humorado, mas era uma pessoa da melhor qualidade. Baita de um talento. Sinto muito a falta dele. Queria muito enaltecer a atitude do Arnaldo Cezar Coelho, que o ajudou muito nesses últimos anos.

Ex-jogador e hoje comentarista, Júnior também prestou sua homenagem ao amigo de coberturas:

– O Sérgio Noronha foi um ícone do jornalismo esportivo brasileiro. Primeiro no jornal, depois na rádio, e posteriormente na televisão. Tive um prazer muito grande de trabalhar com o Sérgio e aprendi muito com ele. Ainda mais que entrei no seu lugar quando ele saiu da TV Globo, e eu comecei a comentar. Agradecimento é muito grande a tudo aquilo que ele fez, não só pelo jornalismo, mas por mim também.

Um dos grandes jornalistas da sua geração, Sérgio Noronha deixou sua marca no jornal, no rádio e na TV. Carioca, ele nasceu no dia 28 de dezembro de 1932. Estudou Letras na Faculdade Lafayete quando, aos 22 anos, começou a trabalhar na revista O Cruzeiro. Em 1959, virou repórter do Jornal do Brasil e passou ainda pelos jornais Diário Carioca, Correio da Manhã e Última Hora, além das revistas Senhor e TV Guia.

Chegou em 1975 à TV Globo, onde comentou as Copas do Mundo de 1978, 1982, 2002 e 2006. Passou também pela TV Educativa, Rádio Globo, Rádio Tupi e SporTV. Voltou à TV Globo em 1999 e ficou por mais 10 anos. Seus últimos trabalhos foram na TV Bandeirantes em 2009 e Canal Premiere em 2011. Além de repórter e comentarista, foi ainda redator, secretário de redação, editor de esportes e colunista.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Juíza do TRE-PB é reeleita presidente do Colégio de Ouvidores da Justiça eleitoral

Prefeitura de João Pessoa firma parceria com Federação de Futebol e garante teste de Covid-19 para times

Globo rescinde contrato de transmissão do Campeonato Carioca

Globo confirma retomada da F-1 com Cleber Machado e sem Galvão