Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Mundo

Editoria sobre Mundo ir para editoria →

Mundo

Alemanha faz 'shows-pesquisa' para estudar multidões e covid-19

Pesquisadores querem entender efeitos do coronavírus em plateias lotadas.

O show foi apelidado de Restart-19 e criado para "investigar as condições para que esses eventos possam ser realizados apesar da pandemia", segundo os pesquisadores. (Foto: Reprodução)

Por

Três shows de música pop foram realizados neste sábado na Alemanha para permitir que cientistas estudem os riscos de se realizar eventos com multidões em espaços fechados durante a pandemia.

Cerca de 1,5 mil voluntários entre 18 e 50 anos participaram da série de três "shows-pesquisa" em Leipzig, feito pela universidade Halle. O cantor Tim Bendzko tocou em todos os três shows.

O responsável pelo estudo, Stefan Moritz, disse que ficou "muito satisfeito" com a forma como a experiência foi conduzida.

O estudo é feito em um momento em que a Alemanha registra o maior número de infecções por covid-19 desde o final de abril.

Mais de 2 mil casos foram registrados nas últimas 24 horas, totalizando 232.082 casos, segundo o instituto Robert Koch.

O show foi apelidado de Restart-19 e criado para "investigar as condições para que esses eventos possam ser realizados apesar da pandemia", segundo os pesquisadores.

Cientistas planejaram três cenários diferentes para os 4 mil visitantes do Quarterback Immobilien Arena de Leipzig ao longo do sábado.

O primeiro show tentou simular um evento antes da pandemia; o segundo teve mais medidas de higiene e distanciamento social; e o terceiro teve metade do número de pessoas com cada pessoa a 1,5 metros de distanciamento.

Os primeiros resultados do estudo devem ser publicados em outubro.

Todos os shows tiveram entrada e saída do público na arena "para retratar o comportamento do espectador da forma mais realista possível".

Todos os participantes foram testados para covid-19 e receberam máscaras e aparelhos que medem o distanciamento social.

Os pesquisadores usaram sprays fluorescentes para descobrir quais superfícies serão mais tocadas.

O projeto recebeu mais de um milhão de dólares dos Estados de Saxônia-Anhalt e Saxônia com o objetivo de ajudar organizadores de eventos a retomarem shows e jogos esportivos com dados mais realistas.

"A pandemia do coronavírus está paralisando a indústria de eventos", disse o secretário de Economia e Ciência da Saxônia-Anhalt, Armin Willingmann.

"Enquanto houver risco de infecção, shows grandes, feiras comerciais e eventos esportivos não podem ser realizados. É por isso que é importante descobrir quais condições técnicas e organizacionais poderiam minimizar os riscos."

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Incêndio se espalha por tanques de petróleo de Cuba após queda de raio

Central nuclear ucraniana é bombardeada neste sábado

Israelenses e palestinos se enfrentam com ataques aéreos e foguetes pelo segundo dia

Taiwan acusa China de simular uma invasão da ilha