Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Mundo

Editoria sobre Mundo ir para editoria →

Críticas

Bolsonaro diz que Biden, Macron, Boris e Trudeau fustigam Brasil por Amazônia

Presidente afirma ainda que EUA e França querem deixar Brasil em 2º plano no mercado de commodities.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante entrevista coletiva sobre a floresta amazônica, em Porto Feliz (SP). (Foto: Amanda Perobelli / Reuters)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro disse que os líderes de EUA, Joe Biden, França, Emmanuel Macron, Canadá, Justin Trudeau, e Reino Unido, Boris Johson, estão "o tempo todo fustigando" o Brasil devido à Amazônia.

Em entrevista nesta sexta-feira (20), o chefe do Executivo defendeu a visita que fez à Rússia às vésperas do início da guerra com a Ucrânia e disse que o presidente russo, Vladimir Putin, sempre se posicionou no sentido de que a floresta amazônica é uma questão a ser tratada de maneira soberana pelo Brasil.

Nas declarações, dadas a um canal no YouTube, Bolsonaro aproveitou para voltar à ofensiva contra líderes com quem já teve atritos devido à Amazônia, como Macron e Biden. "Macron, Biden, Trudeau, Boris, entre outros, estão o tempo todo nos fustigando, [dizendo] que nós não sabemos tratar da Amazônia."

O presidente também afirmou que as críticas externas se devem a esforços para "deixar o Brasil no segundo plano" no mercado de commodities. "Nós temos aqui commodities, especialmente no campo. E concorremos com alguns países importantes. Obviamente os países têm interesse em nos deixar no segundo plano, porque quanto menos mercadoria no mercado o deles é mais valorizado. França, Estados Unidos, um pouco da Austrália, que não tem grande poder de influência e não trabalha contra a gente."

Não é a primeira vez que Bolsonaro critica chefes de outras nações, em especial Biden e Macron. Em outubro, ele afirmou que o presidente americano tem "quase uma obsessão pela questão ambiental".

"Da minha parte, o Brasil está de portas abertas e pronto para continuar a conversa com o governo americano. Obviamente, o governo Biden é um governo mais de esquerda. Um governo que tem quase uma obsessão pela questão ambiental, então isso atrapalha um pouquinho a gente", disse ele à época.

Em relação ao líder francês, Bolsonaro chegou a endossar um comentário ofensivo nas redes sociais à primeira-dama Brigitte Macron e acusou Macron de interferência na soberania brasileira sobre o bioma.

A investida contra Biden ocorre no momento em que o presidente deve decidir se viaja a Los Angeles no início de junho para participar da Cúpula das Américas, cuja nona edição é organizada pelos EUA.

De acordo com interlocutores de Bolsonaro, a tendência atual é que ele não viaje e se concentre em assuntos domésticos no Brasil, devido principalmente à proximidade do calendário eleitoral.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Julho terá chuva de meteoros e Lua dos Cervos

Em Hong Kong, Xi diz que cidade deve ser governada apenas por 'patriotas'

Dez morrem em prédio de apartamentos em Odessa atingido por disparo de míssil russo

Suprema Corte dos EUA limita capacidade do governo de combater mudança climática