Guerra

Cerca de 16 paraibanos estão na Ucrânia e aguardam repatriação após invasão russa

O caos instaurado na Ucrânia após a Rússia atacar diversas cidades do país, já dura mais de seis dias e mais de 200 vidas foram perdidas na guerra.

Cerca de 16 paraibanos estão na Ucrânia e aguardam repatriação após invasão russa

Secretaria de Representação da Paraíba participa plano de ação para repatriar paraibanos na Ucrânia. — Foto:reprodução

Com o caos instaurado na Ucrânia após a Rússia atacar diversas cidades do país, em uma guerra que não tem previsão de ser cessada, o secretário Representações da Paraíba (SERI-PB), Adauto Fernandes, em contato com o ClickPB, neste domingo (27) estima que cerca de 16 paraibanos estejam no país. Ao todo, são mais de 500 brasileiros residindo na Ucrânia.

Segundo ele, a Paraíba segue junto com o Itamaraty na execução de um plano estratégico para repatriar todos os paraibanos que estão na Ucrânia. A tratativa foi iniciada na última sexta-feira(26), entre a embaixada da Ucrânia do Brasil e o Itamaraty, e a qualquer momento irão divulgar o plano estratégico para repatriar esses paraibanos e brasileiros que lá estão, alguns já estão na divisa com a Romênia.

“Na tarde de hoje, em reunião com a embaixada da Ucrânia no Brasil, o Itamaraty confirmou que a força aérea Brasileira disponibilizou dois aviões para que possa repatriar os Brasileiros, sendo 16 paraibanos e mais de 400 Brasileiros entre professores, jornalistas, jogadores de futebol, empresários, funcionários na área de tecnologia e profissionais liberais. Estamos em contato permanentemente com os setores consulares do Brasil na Ucrânia, e a embaixada da Ucrânia do Brasil”, explicou.

Mais de 200 mil ucranianos chegaram a países vizinhos desde o início da invasão russa. Eles fugiram da Ucrânia para a Polônia e outros países, incluindo a Hungria e a Romênia. O governo da Polônia disse, no sábado, que mais de 100 mil ucranianos tinham atravessado a fronteira polaco-ucraniana só nas últimas 48 horas. 

De acordo com um novo balanço da agência das Nações Unidas para os refugiados, os números de pessoas que fogem das tropas russas estão em constante mudança e que outra atualização será emitida ao longo deste domingo.

A FAB (Força Aérea Brasileira) anunciou no último sábado (27) que aviões da corporação estarão disponíveis para o “possível transporte de brasileiros evacuados da Ucrânia”. A preparação de 2 aviões KC-390 Millennium foi por orientação dos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores.

Ainda segundo o secretário, existe a possibilidade de mais paraibanos estarem no país em guerra. “A quantidade correta dos paraibanos vamos saber antes da decolagem dos dois aviões da força aérea brasileira, alguns casos já estão na divisa da Ucrânia com a Romênia. As informações a respeito da quantidade de paraibanos estão sendo preservaras por segurança pois o objetivo é que todos os brasileiros sejam repatriados com tranquilidade”, esclareceu Adauto.

O Itamaraty lidera operação em contato direto com autoridades da estação central de trens de Kiev, com autoridades locais em Chernivtsi (Ucrânia) e com as autoridades migratórias romenas.

A Embaixada do Brasil também enviou missão à fronteira. Nos próximos dias (ou horas), de acordo com interesse desse grupo em retornar ao Brasil. Já houve confirmação de que outros brasileiros, acompanhados de outros cidadãos latino-americanos, cruzaram o mesmo ponto da fronteira hoje pela manhã e estão a caminho da capital romana.

SAIBA MAIS:

João Azevêdo manifesta solidariedade a ucranianos, repudia força bélica e coloca secretaria à disposição para repatriar paraibanos na Ucrânia

Conflito entre Rússia e Ucrânia pode afetar preço do combustível, aumentar queda em investimentos, além de fomentar crise humanitária, diz especialista

COMPARTILHE

Bombando em Mundo

1

Mundo

Ginasta é excluída da Olimpíada após beber em idade ilegal

2

Mundo

Nasa diz que Nordeste do Brasil pode ficar inabitável em 50 anos

3

Mundo

Nos EUA, home office está transformando escritórios vazios em novos apartamentos

4

Mundo

Apagão cibernético paralisou 8,5 milhões de dispositivos, revela Microsoft

5

Mundo

Especialista explica o que causou apagão cibernético, que afetou voos e bancos em todo mundo; entenda