Conflito

Embaixador de Israel diz estar desapontado por Brasil não “condenar” ataque do Irã a Israel

"O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada".

embaixador

O embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine, afirmou à CNN neste domingo (14) que está desapontado pelo governo brasileiro não ter condenado o ataque do Irã a Israel em nota divulgada pelo Itamaraty na noite de ontem.

“Eu procurei, mas não achei um tipo de condenação, infelizmente. Fiquei muito desapontado. Acho que quando há este tipo de ataque, e o Brasil aceita isso, ou pelo menos não condena, como disse, fiquei muito desapontado que isso não aconteceu. Espero que não vamos ter que continuar com este tipo de mensagens”, disse Zonshine.

No comunicado do Ministério das Relações Exteriores (leia a íntegra abaixo), o Brasil pede “máxima contenção” para evitar “escalar” do conflito entre Irã e Israel.

“O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada”, disse o Itamaraty em nota.

Na nota, o governo brasileiro ainda disse acompanhar o conflito com “grave preocupação”.

Ainda foi recomendado pelo Itamaraty que “não sejam realizadas viagens não essenciais à região” do conflito, e que brasileiros que estejam no Irã e em Israel “sigam as orientações divulgadas nos sítios eletrônicos e mídias sociais das embaixadas brasileiras”.

Leia a íntegra da nota do Itamaraty

“O Governo brasileiro acompanha, com grave preocupação, relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel, deixando em alerta países vizinhos como Jordânia e Síria.

Desde o início do conflito em curso na Faixa de Gaza, o Governo brasileiro vem alertando sobre o potencial destrutivo do alastramento das hostilidades à Cisjordânia e para outros países, como Líbano, Síria, Iêmen e, agora, o Irã.

O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada.

O Governo brasileiro recomenda que não sejam realizadas viagens não essenciais à região e que os nacionais que já estejam naqueles países sigam as orientações divulgadas nos sítios eletrônicos e mídias sociais das embaixadas brasileiras.

O Itamaraty vem monitorando a situação dos brasileiros na região, em particular em Israel, Palestina e Líbano desde outubro passado.”

Ataque sem precedentes contra Israel

Na madrugada deste domingo (no horário local de Israel), o Irã deu início a uma ofensiva sem precedentes contra Israel. Mais de 300 drones e mísseis foram lançados contra o território israelense.

Para evitar estragos, a força militar israelense usou um escudo, conhecido como “Domo de Ferro”, que consiste em mísseis interceptadores que se chocam no ar com a ameaça inimiga, impedindo que o ataque aconteça.

Quase todos os projéteis lançados em direção a Israel foram interceptados pelo sistema, segundo informaram as Forças de Defesa de Israel (FDI).

Desde o início do conflito no Oriente Médio em outubro passado, esta foi a primeira vez que o Irã realizou um ataque direto contra Israel.

“Não nenhuma justificativa para um ataque desta natureza como aconteceu esta noite. O fato de que as forças israelenses conseguiram interceptar [os drones e mísseis], não pode ser levado de uma maneira leve”, argumentou o embaixador de Israel no Brasil.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que o país está preparado para dar uma resposta militar ao Irã.

*Por CNN

COMPARTILHE

Bombando em Mundo

1

Mundo

Estagiário tenta matar chefe a tiros dentro de armazém da Amazon e erra disparos; veja vídeo

2

Mundo

Deputado governista foge com projeto de lei para impedir aprovação em Taiwan

3

Mundo

Astrônomos encontram três das estrelas mais antigas do universo

4

Mundo

Cobra venenosa se esconde em carro e motorista passa a dirigir protegida

5

Mundo

Estados Unidos anunciam doação de R$ 770 mil para o Rio Grande do Sul