Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Mundo

Editoria sobre Mundo ir para editoria →

América Latina

Justiça argentina absolve Cristina Kirchner em ação por delito financeiro

Após realizar uma nova perícia nos documentos das transações, o tribunal concluiu que "não houve prejuízo ao Estado".

Ela era acusada, ao lado de outros integrantes de sua gestão como presidente (2007-2015), de realizar operações ilegais de venda de dólar a partir de informações privilegiadas, entre agosto e novembro de 2015, quando o peso sofreu desvalorização. (Foto: Reprodução)

Por

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) — A Justiça da Argentina absolveu nesta terça-feira (13) a atual vice do país, Cristina Kirchner, no processo conhecido como "dólar futuro". 

Ela era acusada, ao lado de outros integrantes de sua gestão como presidente (2007-2015), de realizar operações ilegais de venda de dólar a partir de informações privilegiadas, entre agosto e novembro de 2015, quando o peso sofreu desvalorização.

Entre os outros envolvidos na ação estavam o atual governador da província de Buenos Aires, Axel Kicillof, que à época era ministro da Economia, o ex-presidente do Banco Central Alejandro Vanoli e o atual chefe do órgão, Miguel Ángel Pesce. A acusação havia sido feita por líderes da então aliança opositora liderada pelo ex-presidente Mauricio Macri. Os deputados Mario Negri e Federico Pinedo e o ex-ministro da Economia Alfonso Prat-Gay apresentaram documentos que, segundo eles, trariam evidências do delito.

Após realizar uma nova perícia nos documentos das transações, o tribunal concluiu que "não houve prejuízo ao Estado". A absolvição levanta críticas da oposição, que acusa o governo atual de pressionar o Judiciário para livrar Cristina de seus processos. A proposta de reforma da Justiça, que vem sendo debatida no Congresso e tem como objetivo descentralizar decisões, seria uma maneira de fazer isso.

Dos sete processos contra a ex-presidente, sobram agora seis, entre os quais acusações de lavagem de dinheiro por meio dos hotéis da família Kirchner na Patagônia e de desvio de verbas destinadas a obras públicas. 

No ano passado, diante da mesma corte, Cristina acusou os juízes de estarem fazendo perseguição política contra ela. Na ocasião, Cristina afirmou que o tribunal estava exibindo "o apogeu do lawfare", contra ela, em referência ao termo que descreve o uso político do direito contra certos alvos.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Estágio de 20 toneladas de foguete chinês cairá na Terra até amanhã

Alemanha retoma uso de vacina da AstraZeneca em todos os adultos

Príncipe de Liechtenstein é acusado de matar um dos maiores ursos da Europa

Atriz britânica é submetida a cirurgia após ter rosto corroído por abuso de cocaína