Política

Macron diz ser contra acordo entre Mercosul e União Europeia

Lula diz que presidente francês tem o direito de pensar dessa maneira e que França é protecionista.

Macron diz ser contra acordo entre Mercosul e União Europeia

A conclusão do acordo pode ser um ativo para o Brasil e a expectativa é de que seja fechado na próxima semana, no dia 7 de dezembro, apenas três dias antes de Milei assumir a presidência da Argentina. — Foto:reprodução

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse, neste sábado (2), ser contra o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. Macron está em Dubai, nos Emirados Árabes, para a COP 28. Em conversa com jornalistas, Macron disse ainda que o acordo de livre comércio está “mal remendado”. Isso porque foi negociado há mais de 20 anos.

Ele afirmou que a versão atual do acordo entre o Mercosul e a União Europeia não leva em conta a biodiversidade e o clima. O mandatário francês justifica que, uma vez que não considera uma política ambiental condizente com a do governo Lula, a qual elogiou, o acordo se mostra contraditório.

“E é justamente por isso que sou contra o acordo Mercosul-UE, porque acho que é um acordo completamente contraditório com o que ele [Lula] está fazendo no Brasil e com o que nós estamos fazendo […] não leva em conta a biodiversidade e o clima dentro dele. É um acordo comercial antiquado que desmantela tarifas”, disse.

Questionado por jornalistas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que Macron tinha o direito de pensar dessa maneira. .

“Cada país tem o direito de ter uma posição. A França sempre foi o país mais duro para se fazer acordos, porque a França é mais protecionista. Não é a mesma posição da União Europeia.”
O Brasil é o atual presidente do Mercosul. A gestão brasileira acaba no fim de dezembro. Cada país membro, com exceção da Venezuela, assume a liderança do bloco por um período de seis meses.

O governo Lula aumentou os esforços para antecipar a conclusão do acordo antes do segundo turno da eleição presidencial argentina por receio do risco oferecido por Javier Milei.

A conclusão do acordo pode ser um ativo para o Brasil e a expectativa é de que seja fechado na próxima semana, no dia 7 de dezembro, apenas três dias antes de Milei assumir a presidência da Argentina.

Nesta sexta (1º), Lula conversou sobre o acordo de livre comércio entre Mercosul e a União Europeia com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Desde o início do ano, Lula e Ursula vem tratando do tema, em conversas pessoas e virtuais.

Após o encontro, Ursula von der Leyen publicou em uma rede social que a União Europeia “está empenhada em concretizar esse acordo”.

Em 2019, o acordo foi acertado durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Na época, Macron acusou Bolsonaro de mentir sobre os compromissos da sua gestão para com o Acordo de Paris —um tratado internacional sobre mudanças climáticas— e afirmou que a França iria se opor ao acordo.

Em janeiro de 2022, Macron discursou no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, e criticou o Mercosul, em especial o Brasil, por não respeitar o Acordo de Paris. A declaração foi feita ao ser questionado sobre o engajamento ambiental da França, que atualmente ocupa a presidência da União Europeia.

COMPARTILHE

Bombando em Mundo

1

Mundo

Felipe Pontes afirma que há políticos, empresários e religiosos envolvidos em escândalo da Braiscompany: “se tiver delação, a Paraíba pega fogo”

2

Mundo

VEJA FOTOS: condomínio de luxo onde ‘casal Braiscompany’ se escondia tem campo de golfe, quadras de tênis e ‘clube familiar’

3

Mundo

STJ julgará pedido da Itália para decidir se Robinho cumprirá pena no Brasil

4

Mundo

Óvni em forma de disco é filmado por militares ucranianos em zona de guerra com a Rússia; veja vídeo

5

Mundo

Michigan acende alerta para Biden, que precisa apaziguar insatisfação de parcela do partido sobre guerra em Gaza