Tragédia

Seis desaparecidos são dados como mortos após navio bater em ponte nos Estados Unidos

Os desaparecidos na tragédia da ponte incluíam um jovem de 26 anos, natural de San Luis, Petén. O outro é um homem de 35 anos de Camotán, Chiquimula, informou o comunicado.

Navio derrubou pomte nos EUA.

Navio derrubou pomte nos EUA. (foto: reprodução/X)

A Guarda Costeira dos EUA suspendeu os seus esforços na busca de seis pessoas, que se acredita fazerem parte de uma equipe de construção de estradas, consideradas mortas depois que a ponte Francis Scott Key, em Baltimore, desabou na manhã de terça-feira (26), quando um navio de carga atingiu o pilar da ponte.

Dois dos trabalhadores da construção civil desaparecidos no desabamento da ponte em Baltimore eram da Guatemala, informou o Ministério das Relações Exteriores do país em comunicado.

Os desaparecidos incluíam um jovem de 26 anos, natural de San Luis, Petén. O outro é um homem de 35 anos de Camotán, Chiquimula, informou o comunicado.

O ministério disse que ambos faziam parte de uma equipe de trabalho de “reparo do asfalto da ponte no momento do acidente”.

O comunicado não nomeou as duas pessoas desaparecidas, mas disse que o cônsul-geral do país em Maryland “foi à área onde estão as famílias das pessoas afetadas”, onde espera poder encontrar-se com os irmãos de ambas as pessoas desaparecidas.

O consulado também emitiu um comunicado na terça-feira dizendo que seu cônsul-geral em Maryland “permanece em contato com as autoridades locais” e também confirmou que dois dos desaparecidos “eram de origem guatemalteca”.
Limpeza do local

Mais de 1.000 membros do Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA (USACE) ajudarão após o colapso da ponte Francis Scott Key, em Baltimore.

A equipe inclui “especialistas em engenharia, construção, contratação e operações” e trabalhará com agências locais, estaduais e federais para remover a ponte e limpar o canal de navegação federal, disse um comunicado de imprensa do USACE na terça-feira.

“Nossos pensamentos estão com aqueles que foram afetados pelo trágico colapso da ponte Francis Scott Key”, disse o comandante do distrito de Baltimore, coronel Estee Pinchasin.

“Nossos gerentes de emergência estão monitorando de perto o incidente e coordenando com agências parceiras quaisquer possíveis solicitações de apoio.”

O USACE fornecerá suporte de engenharia estrutural, gerenciamento de detritos hidroviários, recursos certificados de avaliação subaquática, incluindo sonar, bem como recursos de levantamento hidrográfico e topográfico.
Nacionalidade das vítimas

Alguns dos indivíduos desaparecidos após o colapso da ponte são cidadãos mexicanos, segundo Rafael Laveaga, chefe da Seção Consular da Embaixada do México em Washington.

Laveaga não disse quantos dos desaparecidos eram mexicanos quando falou com repórteres perto do local na terça-feira.

Um repórter perguntou a Laveaga: “É nosso entendimento que alguns destes as vítimas podem ter famílias ou origens do México, Guatemala, Honduras, El Salvador. O que você pode nos contar?”

“Sim, as nacionalidades envolvem todos os países que mencionou e é por isso que estamos aqui também, porque sabemos que o nosso povo está envolvido”, disse Laveaga aos jornalistas.

“Era uma equipe que estava consertando partes, acho que buracos na ponte, e são eles que vão construir a ponte novamente – os latinos.” Laveaga disse que é muito cedo para determinar as nacionalidades de todas as vítimas.

“Acidentes acontecem e foi uma tragédia muito infeliz”, disse ele.

Fonte: CNN Brasil.

COMPARTILHE

Bombando em Mundo

1

Mundo

Embaixador de Israel diz estar desapontado por Brasil não “condenar” ataque do Irã a Israel

2

Mundo

Irã pagará ‘na hora certa’ pelo ataque de sábado, diz membro do Gabinete de Guerra de Israel

3

Mundo

Irã lança ataque com mais de 100 drones contra Israel em retaliação

4

Mundo

Homem é morto pela polícia, após esfaquear pessoas em shopping na Austrália

5

Mundo

Repórter esportivo é encontrado morto próximo a rio na Austrália