Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Contaminação

Abatedouro da Prefeitura de Pombal pode ser interditado pelo MPPB

No local, os animais mortos ficam jogados no chão e vulneráveis à contaminação. Denúncia está sendo apurada pelo MPPB e interdição pode ser feita a qualquer momento.

Abatedouro da Prefeitura de Pombal infringe leis ambiental e do consumidor. (Foto: Reprodução)

Por

O abatedouro da Prefeitura de Pombal foi denunciado pela Comissão de Direito Animal da OAB-PB, que identificou infrações graves de maus tratos aos animais e irregularidades no processo de abatimento. No local, os animais mortos ficam jogados no chão e vulneráveis à contaminação.  

Em entrevista ao Portal ClickPB, Francisco José Garcia, presidente da Comissão de Direito Animal da Ordem dos Advogados do Brasil secção Paraíba (OAB-PB), informou que já foram encaminhadas as denúncias ao Ministério Público da Paraíba (MPPB) em Pombal, para que possam impedir as atividades no local. "Já denunciamos ao MPF e ao MPPB e certamente eles já vão instaurar o inquérito para apuração do fato, uma vez que envolve vários crimes, como saúde pública, mãos tratos aos animais, além de ferir o direito ao consumidor."

“Esses animais não são mortos como manda a legislação, que orienta para que o abate tenha a insensibilizados com a pistola para que não sintam dor, no entanto, eles são abatidos de qualquer jeito, a pauladas, ficando um mar de sangue com contaminação em alto grau, já que não existe água, nem refrigeração e entram num estado de putrefação, antes mesmo de serem cortados e levados para consumo. Um caso grave de infrações consecutivas”, destacou.

Ele relatou que o abatedouro é do próprio município sendo uma incoerência a falta de cumprimento da lei, justamente por quem deveria dar o exemplo. “Com esse caso, evidenciamos que o próprio poder público da cidade vem descumprindo a lei.”

Segundo ele, a punição para casos assim terá medidas mais rígidas com a vigência do novo Código Animal. “Se o Código de Direito Animal da Paraíba estivesse em vigor, multas pesadíssimas iriam incidir sobre os gestores públicos, que deveriam cumprir a legislação ambiental e sanitária. Esse novo código começa a vigorar em 10 de outubro com a lei 11. 140/2018. As multas prevêm o valor por maus tratos a cada animal, em no mínimo cerca de R$ 9 mil reais para quem infringir normas sanitárias e consumeristas”, explicou.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

MPPB destina R$ 1 milhão para compra de mais de 10 mil testes e kits de detecção do coronavírus

Pagamento de contas de luz atrasadas podem ter prazos negociados na PB, diz Energisa

Deputado paraibano relator da PEC do Orçamento chama atenção de parlamentares sobre prioridades com a pandemia do coronavírus

Campina Grande terá hospital de campanha com 42 novos leitos; obras deverão ser concluídas em 20 dias