Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Transporte

Após sindicato anunciar retirada de linhas de ônibus em Campina Grande, juíza proíbe medida

A retirada das linhas de circulação foi programada para começar neste sábado (7). O Sitrans havia encaminhado ofício à STTP na última quarta-feira (3) informando da retirada das linhas.

O alvo da suspensão são as linhas 903-B (São José da Mata), 910 (Jenipapo) e 902 (Estreito -Salgadinho), operadas pelo Consórcio Santa Maria, e a linha 955 (Galante), operada pelo Consórcio Santa Verônica. (Foto: Codecom-CG/Arquivo)

Por

Após o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Campina Grande (Sitrans) anunciar a suspensão de quatro linhas de ônibus na cidade, a juíza Silmary Alves de Queiroga Vita, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, proibiu, nesta sexta-feira (6), a mudança. Segundo o Sitrans, a razão é "a total insustentabilidade das linhas, cuja remuneração tarifária sequer cobre os custos da operação". A retirada das linhas de circulação foi programada para começar neste sábado (7).

O Sitrans havia encaminhado ofício à Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) na última quarta-feira (3), "alertando para a situação crítica de insustentabilidade de quatro linhas, cuja remuneração tarifária sequer cobre os custos da operação, um quadro que fere o contrato para prestação do serviço."

O alvo da suspensão são as linhas 903-B (São José da Mata), 910 (Jenipapo) e 902 (Estreito -Salgadinho), operadas pelo Consórcio Santa Maria, e a linha 955 (Galante), operada pelo Consórcio Santa Verônica.

A STTP argumentou, ao ajuizar ação, que a suspensão causaria prejuízo aos moradores de Campina Grande, sendo a maioria carente, nas suas atividades de trabalho, estudo e outras necessidades.

A juíza também concordou na alegação, reafirmando o prejuízo para os passageiros. "Pelo exposto, DEFIRO O PEDIDO DE TUTELA DE URGÊNCIA, determinando aos promovidos que NÃO SUSPENDAM o transporte público de passageiros referente as linhas 903B (São José da Mata), 910 (Jenipapo), 902 (Estreio/Salgadinho) e a linha 955 (Galante), zonas distritais do município de Campina Grande, sob pena de multa diária no montante de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), até o valor dos contratos", apontou na decisão.

"Torna-se completamente inviável a exploração de linhas deficitárias, sem a devida compensação tarifária, o que implica no flagrante desequilíbrio da equação econômico-financeira do contrato de concessão e, consequente, no descumprimento do que restou estabelecido no contrato público de concessão", declarou o Sitrans.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Cícero Lucena dá posse ao Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação e garante processo de investimento em pesquisa

Gilvan Raposo diz que decisão de Alexandre de Moraes de restituir diretório do PROS da Paraíba "não muda nada" na parceria com João Azevêdo

Preços de alimentos da cesta básica têm variação de mais de 75% em João Pessoa, mostra pesquisa

Presidente do Coren-PB denuncia demissão em massa após sanção do piso para Enfermagem e diz que acionará Ministério Público