Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Coronavírus

Bancos descumprem orientação para evitar aglomerações e Sindicato denuncia caos nas agências

O Banco Central atendeu as reivindicações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT)​ e determinou, por meio de uma circular, a redução do horário de atendimento e o controle de acesso às agências.

Ainda segundo o presidente, houve uma correria às agências de bancos públicos, principalmente da Caixa Econômica Federal, "após o ministro da Economia anunciar de forma 'irresponsável' a concessão de auxílios. (Foto: reprodução)

Por

O Portal ClickPB recebeu denuncias de internautas sobre as filas que se estendem em diversas agências bancárias da Paraíba com a pandemia do coronavírus. Nos últimos dias, medidas para diminuir o fluxo de atendimento e prevenir o contágio da doença dentro dos estabelecimentos bancários foram tomadas, mas até agora não tem surtido efeito. O Sindicado dos Bancários da Paraíba denuncia que as medidas de prevenção a doença já foram tomadas, mas que os bancos não estão cumprindo com as determinações. 

O Banco Central atendeu as reivindicações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e determinou, por meio de uma circular, a redução do horário de atendimento e o controle de acesso às agências. 

O Sindicato solicitou no mesmo dia, a suspensão do atendimento, por meio de ofício ao governador da Paraíba, João Azevêdo, medida que até agora aguarda avaliação do gestor. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Lindonjhonson Almeida, a situação requer sensibilidade de banqueiros e do governo. "Estamos monitorando e fiscalizando as denuncias que chegam e cobrando a urgência na implementação das medidas de prevenção para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores e clientes em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19)", explicou. 

Ele ressaltou que, dentre as medidas tomadas, a diminuição no atendimento, é apenas para garantir o atendimento às pessoas que não têm o cartão para saque em unidades de autoatendimento, os aposentados que não tenham outra alternativa para sacar os benefícios da Previdência, que não possuem conta corrente, trabalhadores que tenham que sacar o FGTS, ou desempregados que tenham que sacar o seguro-desemprego, entre outros. “A limitação precisa priorizar o atendimento a esse público para que eles tenham como manter sua subsistência”, explicou,  acrescentando que o trabalho nos departamentos, que não envolvam o atendimento bancário, a situação é diferente e deve ser liberado o máximo possível de pessoas para realizar trabalho home office ou férias.

A Circular 3.991 do Banco Central determina aos bancos que “assegurada a prestação dos serviços essenciais à população, as instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil devem ajustar o horário de atendimento ao público de suas dependências enquanto perdurar, no País, a situação de risco à saúde pública decorrente do novo Coronavírus (Covid-19), dispensada a antecedência de comunicação de alteração, de que trata o art. 4º da Resolução nº 2.932, de 28 de fevereiro de 2002”.

A circula do Bacen diz ainda que “os bancos múltiplos com carteira comercial, os bancos comerciais e as caixas econômicas estão dispensados do cumprimento, em suas agências, do horário obrigatório e ininterrupto de que trata o art. 1º, § 1º, inciso I, da Resolução nº 2.932, de 2002”, que é no mínimo de 5 horas.

E que as instituições bancárias “devem afixar aviso em local visível em suas dependências, bem como comunicar os clientes, pelos demais canais de atendimento disponíveis, sobre o horário de atendimento e caso venham a instituir limitação de quantidade de clientes e usuários ou outras condições especiais de acesso às suas dependências, destinadas a evitar aglomeração de pessoas”.

“O Banco Central determina a redução do horário, mas mantém uma liberalidade com relação ao contingenciamento. O controle de acesso é fundamental para garantir a segurança e a saúde dos bancários e dos clientes. Esperamos que os bancos atendam essa reivindicação”, disse a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira. “Mas, estamos enviando ofício ao Ministério da Saúde solicitando que os bancos sejam obrigados a fazer o controle de acesso para resguardar a saúde dos trabalhadores, dos clientes e usuários e evitar a propagação ainda maior da doença”, completou.

Ainda segundo o presidente, houve uma correria às agências de bancos públicos, principalmente da Caixa Econômica Federal, "após o ministro da Economia anunciar de forma 'irresponsável' a concessão de auxílios a autônomos e informais, sem que haja regras definidas, sem a definição exata dos beneficiados e sem preparar a estrutura de atendimento", alertou.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Abertas novas inscrições para seleção de profissionais que atuarão no enfrentamento da Covid-19 na Paraíba

Paraíba tem quase 700 foragidos da Justiça com auxílio emergencial aprovado

Prefeito Fábio Tyrone diz que vai recorrer da decisão que suspendeu reabertura do comércio em Sousa

Menor preço do litro da gasolina em João Pessoa é encontrado por R$ 3,439