Pesadelo

Com atrasos e pânico gerados pela falta de pagamentos, clientes recorrem à Justiça e Braiscompany pode ter bens bloqueados

Nesta segunda-feira (16), um dos investidores acionou judicialmente ​a empresa apontando grave lesão com o não cumprimento contratual.

Com atrasos e pânico gerados pela falta de pagamentos, clientes recorrem à Justiça e Braiscompany pode ter bens bloqueados

A defesa pediu que a Justiça deferisse a tutela de urgência para bloquear valores/bens da Braiscompany suficientes para o cumprimento futuro total do cumprimento da sentença condenatória. — Foto:Reprodução

O sonho de ver dinheiro se multiplicar pareceu real e centenas de investidores chegaram a conquistar milhões em ativos da Braiscompany ao longo dos últimos anos, no entanto, o que é bom costuma durar pouco e, para o azar dos clientes, o sonho virou pesadelo a meses. Como apurou o ClickPB, a empresa de serviço de “locação de criptoativos” já entra no segundo mês sem repassar os dividendos aos investidores, situação que gera pânico e colocou a ‘Brais’ no centro as atenções do país nas últimas semanas.

Com a mágica prometida pelo mercado financeiro, os investidores depositavam o dinheiro nas contas da empresa e magicamente acompanhavam o milagre da multiplicação acontecer, mas a situação se complicou com a falta dos repasses dos pagamentos e a sinalização de crise com a falha de comunicação e relação com os clientes. 

O desespero dos clientes segue sem fim. Indignados com os atrasos, os investidores chegaram a ocupar a sede da empresa, denunciar em sites como o Reclame Aqui e grupos de Telegram e WhatsApp, e redes sociais. Além disso, a Justiça já foi acionada para que o impasse seja resolvido. 

Nesta segunda-feira (16), um dos investidores acionou judicialmente a empresa apontando grave lesão com o não cumprimento contratual. A defesa pediu que a Justiça deferisse a tutela de urgência para bloquear os bens da Braiscompany suficientes para o cumprimento futuro total do cumprimento da sentença condenatória, além da declaração do cancelamento do contrato por parte exclusiva da ré. O processo foi distribuído para 1ª Vara Cível de Campina Grande.

A empresa

A Braiscompany Soluções Digitais e Treinamentos LTDA, foi criada em 2018 pelo advogado Antônio Neto Ais. Com sede em Campina Grande, a empresa chegou a registrar atividades em outras cidades como Distrito Federal, São Paulo, Recife e Salvador.

O negócio foi crescendo e na mesma proporção recebeu o primeiro alerta público sobre suas atividades do investidor Tiago Reis, fundador da Suno, acerca de uma pirâmide financeira. Desde o final de 2022, a empresa atrasa os pagamentos aos clientes, que já criaram grupos de “vítimas” para buscar reaver seus investimentos.

Como apurou o ClickPB, na página da Braiscompany no Reclame Aqui, a empresa ultrapassa as mais de 100 reclamações. 

Acompanhe mais sobre o caso nas matérias do ClickPB:

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Loja da Paraíba é condenada a indenizar consumidora em R$ 4 mil por não cumprir seguro de celular; saiba qual

2

Paraíba

Sudema notifica restaurante para remover lançamento de água suja para a areia da praia em João Pessoa

3

Paraíba

Luciano Cartaxo descarta intriga e diz que federação PT com PV e PcdoB está unida: “não tem mais batalha, tudo definido”

4

Paraíba

“Pronto para receber de braços abertos”, diz Nilvan sobre aliança com o PSB; partido deve indicar vice

5

Paraíba

Cartaxo diz que escolha de Amanda Rodrigues como pré-candidata a vice traz fortalecimento das mulheres na gestão pública