Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Sistema

Conecte SUS chega ao sétimo dia fora do ar após ataque hacker

O sistema está sem emitir o comprovante de vacinação contra a Covid desde a última sexta-feira (10).

O Ministério da Saúde sofreu novo ataque hacker nos últimos dias e parte dos sistemas da pasta ficou indisponível. (Foto: Reprodução )

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a pasta está trabalhando para restabelecer o Conecte SUS o "mais rápido possível". O sistema está sem emitir o comprovante de vacinação contra a Covid desde a última sexta-feira (10).

Ele destacou que as redes internas da pasta voltaram a funcionar nesta quinta-feira (16). O Ministério da Saúde sofreu novo ataque hacker nos últimos dias e parte dos sistemas da pasta ficou indisponível.

"A questão do hacker está na Polícia Federal para identificar os criminosos e as medidas estão sendo tomadas para restabelecer a rede. As redes internas do ministério já foram restabelecidas e o Conecte SUS está em avanço para que volte a funcionar o mais rápido possível", disse a jornalistas na porta do ministério.

O Conecte SUS reúne ainda informações do histórico clínico dos pacientes, medicamentos dispensados e exames feitos. Essas funcionalidades também não voltaram a funcionar.

O ministro Queiroga tinha afirmado que a ideia era colocar de volta no ar na terça-feira (14), mas depois alegou que o novo ataque poderia atrasar os planos.

"Falei que até amanhã. Aí houve esse outro ataque. Infelizmente somos vítimas dessas figuras", disse o ministro na segunda-feira (13).

O problema no Ministério da Saúde ocorre em um período de pressão contra o governo federal pelo controle mais rígido das fronteiras, após a descoberta da variante ômicron do coronavírus.

A Polícia Federal abriu inquérito para apurar o ataque hacker e avaliar a extensão da invasão perpetrada contra diferentes setores do governo federal desde a sexta.

Após o ataque hacker, o governo Bolsonaro anunciou que iria adiar em uma semana a aplicação das novas regras para o ingresso de viajantes no Brasil. As medidas entrariam em vigor no sábado (11), e viajantes sem vacina teriam de fazer quarentena de cinco dias.

Mas a nova forma de controle foi antecipada por decisão liminar de Luís Roberto Barroso, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), divulgada no próprio sábado. Ele ainda mandou o governo barrar os não vacinados, com algumas exceções.

O STF formou maioria para estabelecer que os residentes do Brasil que deixarem o país a partir desta quarta-feira poderão retornar se comprovarem que tomaram o imunizante contra a Covid-19, ou se fizerem quarentena de cinco dias e apresentarem teste negativo.

Queiroga disse que aguarda a decisão final do Supremo para dar continuidade à nova portaria.

A Anvisa passou a exigir o certificado de vacinação de quem entra no Brasil por aeroportos ou na fronteira terrestre na segunda-feira (16).


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Cícero Lucena dá posse ao Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação e garante processo de investimento em pesquisa

Gilvan Raposo diz que decisão de Alexandre de Moraes de restituir diretório do PROS da Paraíba "não muda nada" na parceria com João Azevêdo

Preços de alimentos da cesta básica têm variação de mais de 75% em João Pessoa, mostra pesquisa

Presidente do Coren-PB denuncia demissão em massa após sanção do piso para Enfermagem e diz que acionará Ministério Público