Mandado

Confira decisão: desembargador determina prisões de padre Egídio e ex-diretoras por risco de novas fraudes e gravidade dos delitos

Alguns dos motivos que levaram o desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) foram o risco de novas fraudes e gravidade dos delitos.

padre egídio

Padre Egídio é acusado de desviar milhões do Hospital Padre Zé — Foto:Reprodução

ClickPB teve acesso, com exclusividade, a decisão da Justiça que determinou a prisão do ex-diretor geral do Hospital Padre Zé, o padre Egídio de Carvalho, e mais duas ex-diretoras da unidade localizada em João Pessoa. E alguns dos motivos que levaram o desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), a decidir pelo deferimento do pedido de prisão foram o risco de novas fraudes e a gravidade dos delitos cometidos pelos acusados.

“Além disso, o cenário traçado denota a possibilidade de ocultação de outras provas por parte dos investigados, de modo que há um risco premente de soltos continuarem dificultando a atuação dos órgãos de perscuço penal e a recuperação do patrimônio desviado das instituições ledas”, diz trecho do recurso obtido pelo ClickPB, que foi impetrado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) e considerado pelo desembargador obtido pelo ClickPB. 

Conforme noticiou o ClickPB, a decisão da Justiça determina também as prisões da ex-diretora financeira Jannyne Dantas e da ex-tesoureira Amanda Duarte.

Ainda como verificado pelo ClickPB, o desembargador Ricardo Vital considerou o argumento de que há um risco de que os investigados tentem deletar os registros de suas supostas atuações criminais. “A maneira como teriam sido perpetrados os delitos demonstra que a forma de agir dos investigados teria sido meticulosamente planejada no sentido de reduzir, em grau máximo, os vestígios de seu funcionamento”.

“Expeçam-se, com urgência, os mandados de prisão e as respectivas cartas precatórias que se fizerem necessárias, com as ressalvas aqui consignadas, sem o aguardo do trânsito em julgado desta decisão. Uma vez presos sejam, recomendo à autoridade responsável pela execução do ato constritor a observância às prerrogativas de prisão especial, acaso estes façam jus”, diz a decisão. 

ClickPB apurou que as investigações revelaram um esquema de corrupção envolvendo o desvio de dinheiro público na ordem de R$ 140 milhões. Este esquema criminoso foi conduzido pelo padre Egídio de Carvalho através do Instituto São José, que administra o Hospital Padre Zé, e da Ação Social Arquidiocesana durante 10 anos,  entre 2013 e setembro do ano corrente. 

Saiba mais:

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Banco é condenado a devolver Pix que cliente enviou para pessoa morta, na Paraíba

2

Paraíba

“Traz problemas e a pandemia nos mostrou isso”, afirma João Azevêdo sobre liberação das fogueiras de São João na Paraíba 

3

Paraíba

João alfineta e diz que nenhum partido terá “ações limitadas” por indefinição de Romero sobre disputa pela Prefeitura de Campina Grande

4

Paraíba

Motociclista morre após moto bater em carro na BR-230

5

Paraíba

Patos: Terreiro do Forró será ampliado, anuncia prefeitura