Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Paraíba

Delator da Operação Calvário revela compra do Laboratório Público da Paraíba (Lifesa) e Ricardo Coutinho era o sócio oculto

Interceptações autorizadas pela Justiça mostram Daniel e Coutinho tratando da cessão de 5% das cotas.

A operação foi feita por meio da empresa Troy SP Participações, em nome de dois funcionários seus: Sergio Motta e Maurício Neves. (Foto: Walla Santos)

Por

Delator da Operação Calvário, Daniel Gomes, ex-chefe da Cruz Vermelha no Brasil, deu detalhes de um esquema envolvendo a compra do Laboratório Público da Paraíba (Lifesa), numa “sociedade oculta” com o ex-governador Ricardo Coutinho.

A operação foi feita por meio da empresa Troy SP Participações, em nome de dois funcionários seus: Sergio Motta e Maurício Neves.

Interceptações autorizadas pela Justiça mostram Daniel e Coutinho tratando da cessão de 5% das cotas. E a PF aponta que Neves teria participado da entrega de R$ 1,2 milhão em propinas.

Curiosamente, em abril deste ano, Maurício Neves foi indicado pelo BNDESPar para integrar o Conselho Fiscal da Brasiliana Participações S.A, subsidiária da AES Holdings Brasil. Na ocasião, o banco ainda era presidido por Joaquim Levy, que seria forçado a renunciar em junho.

Em maio, Neves foi condenado pela Justiça de São Paulo no processo da ‘máfia do ISS’, do tempo em que era diretor da Unimed Paulistana.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Motorista atropela idoso e foge sem prestar socorro no Bessa

TRF5 acolhe recurso do MPF e restabelece suspensão temporária da circulação de trens da CBTU

Supermercado registra aglomeração em João Pessoa e consumidor denuncia falta de controle

Prefeito de João Pessoa afirma que medidas mais rígidas são última etapa antes do retorno gradual das atividades