Saúde em alerta

Doença causada pelo cigarro eletrônico leva apenas 12 meses para se desenvolver

O maior perigo é entre os jovens de 15 a 24 anos. Pelo menos, 70% das pessoas que usam cigarro eletrônico estão nessa faixa etária.

doença

Enquanto as doenças crônicas relacionadas ao uso do cigarro convencional levam décadas de dependência para se desenvolver, a Evali, doença causada pelo cigarro eletrônico, se instala em apenas 12 meses. O alerta é do pneumologista Sebastião de Oliveira Costa, médico cooperado da Unimed João Pessoa.

O termo Evali vem da sigla em inglês para E-cigarette or Vaping product use-Associated Lung Injury que, em português, pode ser traduzido para Lesão Pulmonar Associada ao Uso do Cigarro Eletrônico.

De acordo com Sebastião Costa, estudos do Centro de Prevenção e Controle de Doenças norte-americano concluíram que 2.807 pacientes foram atendidos em 2019 nos serviços de emergência com Evali. Destes, muitos tiveram que receber oxigênio, outros foram entubados, alguns transferidos para UTIs e 68 não resistiram aos sintomas agudos da doença, que são tosse, dor no peito e intensa insuficiência respiratória.

“O que despertou imensa atenção da comunidade médica foi a diversificação dos sintomas dessa patologia. Além da tosse, dor no peito e insuficiência aguda grave, estiveram presentes a hemoptise (sangramento), febre, dessaturação e sintomas digestivos – dor abdominal, vômitos, diarreia e intenso mal-estar”, informou Sebastião Costa, que é presidente do Comitê de Tabagismo da Associação Médica da Paraíba (AMPB) e membro da Comissão de Tabagismo da Associação Médica Brasileira (AMB).

PERIGO ENTRE OS JOVENS

O maior perigo é entre os jovens de 15 a 24 anos. Pelo menos, 70% das pessoas que usam cigarro eletrônico estão nessa faixa etária. Essa particularidade deve, inclusive, mudar o perfil das mortes causadas pelo tabagismo no mundo.

Hoje, a quase totalidade das mortes é de adultos que usam o cigarro tradicional e são acometidos, principalmente por três doenças: infarto do miocárdio, enfisema pulmonar e câncer de pulmão. “Num futuro não muito distante deve remodelar o perfil etário dessa estatística”, lamentou Sebastião Costa.

LEIA ARTIGO COMPLETO

O pneumologista Sebastião Costa abordou esse tema no artigo “EVALI, a terrível doença do cigarro eletrônico”, publicado no Portal Unimed João Pessoa. No texto, ele traz várias outras informações sobre os riscos do tabagismo para a saúde. O artigo completo está disponível neste link: https://www.unimedjp.com.br/viver-melhor/artigos-medicos/sebastiao-de-oliveira-costa/evali-a-terrivel-doenca-do-cigarro-eletronico/1045.

Os perigos do cigarro eletrônico também são abordados no segundo episódio do “Sem Contraindicação”, o videocast da Unimed João Pessoa, que teve como tema “Câncer de pulmão e tabagismo”. O episódio completo está disponível YouTube.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Deputado Luciano Cartaxo é internado após passar mal em João Pessoa

2

Paraíba

Fifa escolhe o Brasil para sediar Copa do Mundo Feminina de 2027

3

Paraíba

Julgamento do governador do Rio é suspenso após relator votar pela cassação

4

Paraíba

Assessoria de Luiz Couto rebate sugestão de aposentadoria feita por Jackson Macêdo: “gerador de conflitos”

5

Paraíba

Sem ganhador, Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 30 milhões