Prevenção

Em alerta, Secretaria de Segurança cria Força-tarefa para combater ameaças e ataques em escolas paraibanas

As denúncias sobre disseminação de fake news, ameaças e violência nas escolas devem ser realizadas pela população por meio dos números 190 e 197. Ambos os serviços são gratuitos e funcionam 24h.

Em alerta, Secretaria de Segurança cria Força-tarefa para combater ameaças e ataques em escolas paraibanas

A medida visa atuar na prevenção de ataques em escolas, garantindo segurança das pessoas no ambiente escolar. — Foto:Reprodução

Diante dos ataques aos estudantes, professores e funcionários em escolas ocorridas nos últimos dias pelo país, a secretaria da Segurança da Paraíba (Sesds), anunciou a criação de uma força-tarefa. A medida visa atuar na prevenção de ataques em escolas, garantindo segurança para as pessoas no ambiente escolar. 

A força tarefa conta tambem com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar, além do Sistema de Inteligência Estadual e agências de Inteligência do Brasil, Ministério da Justiça e da Segurança Pública. 

De acordo com o apurado pelo ClickPB, a força-tarefa vai contar com o reforço do patrulhamento em escolas e acompanhamento das redes socias. As denúncias sobre disseminação de fake news, ameaças e violência nas escolas devem ser realizadas pela população por meio dos números 190 e 197. Ambos os serviços são gratuitos e funcionam 24h.

CONFIRA NOTA DIVULGADA PELO GOVERNO

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social da Paraíba (Sesds) informa que foi criada uma força-tarefa com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público e órgãos operativos da pasta  (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar) para monitorar e combater, de maneira integrada, qualquer tipo de ameaça ou violência no âmbito das instituições de ensino do Estado.

Para isso, o Sistema de Inteligência Estadual tem agido com outras agências de Inteligência do Brasil, Ministério da Justiça e da Segurança Pública e empresas que gerenciam redes sociais no país, com o objetivo de obter informações que contribuem para esse trabalho.

Ao mesmo tempo, estão sendo realizadas rondas e policiamento preventivo no perímetro de unidades de educação, assim como operações de repressão qualificada, a exemplo da Operação Guardião, ocorrida na manhã desta terça-feira (11), em Campina Grande, em uma ação conjunta da Polícia Civil da Paraíba com Gaeco, quando foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência de um adolescente, a fim de prevenir possíveis infrações ou crimes, bem como apurar as condutas de investigados em relação a uma suposta intenção em atacar alunos de uma escola.

Com o monitoramento de redes sociais, já foram identificados e encaminhados para delegacias competentes suspeitos de praticarem ameaças e atos semelhantes a terrorismo.

As denúncias sobre disseminação de fake news, ameaças e violência nas escolas devem ser realizadas pela população por meio dos números 190 e 197. Ambos os serviços são gratuitos e funcionam 24h.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

No Altas Horas, Chico César relembra época que trabalhava em loja na Paraíba

2

Paraíba

VÍDEO: influencer de 94 anos viraliza com conteúdo em que elogia João Pessoa

3

Paraíba

VÍDEO: ônibus perde o controle e tomba na BR-230 em Sobrado

4

Paraíba

Nilvan discute prioridades para os jovens durante plenária

5

Paraíba

Cidade na Paraíba com 4 mil habitantes gasta quase R$ 1 milhão com shows