Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Sem controle

Em depoimento ao MPF, técnica de enfermagem em Lucena diz que não recebeu treinamento para aplicar vacina contra covid-19 e que não havia controle na imunização

De acordo com depoente, houve ordem para aplicação "em todos" e que comunicação com prefeitura era difícil.

A aplicação em crianças ocorreu apenas no dia 7 de janeiro, de acordo com a depoente. (Foto: Reprodução)

Por

A técnica de enfermagem responsável por aplicar doses vencidas de vacinas contra a covid-19 em crianças de uma comunidade de Lucena, litoral da Paraíba, afirmou em depoimento para o Ministério Público Federal (MPF) que recebeu ordem da chefe de imunização Karina Rocha para "vacinar todos" porque o lote "estava para vencer".

De acordo com o depoimento obtido pelo ClickPB, a técnica que foi afastada do cargo disse que não havia controle da imunização e não recebeu nenhum tipo de treinamento ou capacitação da Prefeitura de Lucena para aplicar as vacinas de Covid-19 e que seu contato com a gestão municipal era muito difícil.

Na declaração, ela também se queixou que estava sozinha no momento da vacinação, sem "coordenadora, enfermeira, médica ou dentista", acompanhada apenas de um agente comunitário de saúde (ACS).

 Ao portal, o MPF afirmou que é prematuro estabelecer qualquer responsabilização já que a apuração "não é apenas no âmbito individual da pessoa que aplicou as vacinas, mas também do agente público, do município".

"No momento o que mais preocupa o Ministério Público são as vacinações futuras, o acompanhamento das crianças e mostrar que esse fato isolado no município de Lucena não atrapalha em nada a vacinação pediátrica aplicada de maneira adequada", disse o órgão.

De acordo com a depoente, a vacinação em crianças aconteceu apenas no dia 7 de janeiro na UBS V Estiva e em uma âncora que ficava no assentamento Outeiro de Miranda, pertencente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Adultos também teriam recebido vacinas de lote vencido.

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, informou que pelo menos 60 crianças receberam doses do lote vencido em Lucena e que elas serão revacinadas dentro de 30 dias. A denúncia partiu de Fernanda Lira, mãe de dois meninos que foram vacinados na cidade, e publicada em primeira mão pelo ClickPB na última sexta-feira (14). 

Fernanda deu depoimento para o MPF na manhã deste segunda-feira (17). Ainda hoje, o órgão vai ouvir a chefe da unidade de Saúde, Maria da Penha. Já amanhã, o prefeito de Lucena, Leo Bandeira, também prestará esclarecimentos.

Confira o termo de declarações da técnica de enfermagem ao MPF:


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Camila Toscano diz que não definiu voto para presidente: "não tenho rejeição, mas aguardo decisão do partido para me posicionar"

Juíza paraibana prima de Ivonete Ludgério é encontrada morta em prédio onde residia, no Pará

Justiça Eleitoral cassa mandatos de vereadores do MDB de Zabelê por abuso de poder com fraude na cota de gênero

Feira de Flores de Holambra acontece em João Pessoa com mais de 200 espécies de plantas a preços populares