TV

Escândalo envolvendo gestão do Padre Egídio no Hospital Padre Zé é destaque no Fantástico da Globo

Ao longo de quase oito minutos, o jornalístico expôs os desvios estimados em R$ 140 milhões e os prejuízos causados aos mais necessitados.

Padre Egídiio de Carvalho Neto.

Como trouxe o ClickPB, de acordo com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco)​, os desvios chegam a R$ 140 milhões. — Foto:Reprodução

O escândalo de corrupção envolvendo a gestão do padre Egídio de Carvalho Neto a frente do Instituto São José e do Hospital Padre Zé, em João Pessoa, foi destaque na edição de ontem (19) do programa de TV Fantástico, da TV Globo. Ao longo de quase oito minutos, o jornalístico expôs os desvios estimados em R$ 140 milhões e os prejuízos causados aos mais necessitados.

Conforme apurou o ClickPB, no conteúdo exibido pela Globo, foi citado, por exemplo, os valores de alguns dos quase 30 imóveis do religioso, dentre eles a cobertura no bairro do Cabo Branco – onde vivia padre Egídio – e que custou R$ 2,4 milhões. 

Os gastos com obras de artes, animais considerados de alto valor’ – como os ‘lulus da Pulmerânia – também foram outros pontos destacados sobre a vida de luxo montada pelo padre supostamente com o dinheiro do Instituto São José.

Como trouxe o ClickPB, de acordo com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco), os desvios chegam a R$ 140 milhões.

Situação de penúria no Padre Zé

No Fantástico, em um dos trechos da matéria, foram exemplificadas situações que demonstram o estado de ‘penúria’ deixado pela administração de padre Egídio no Instituto São José e no Hospital Padre Zé: desde a falta de mantimentos dentro da unidade hospitalar a diminuição do projeto de distribuição de comida nas ruas para as pessoas mais carentes. 

“Estou mendigando remédios, insumo, alimento, frauda para os doentes”, disse em entrevista à Globo o novo gestor do Instituto São José, padre George Batista. Ainda segundo o religioso, após o ocorrido as doações ao instituto também diminuiram. 

Como exemplo, ele cita as ações de arrecadação durante o dia de finados. Segundo apurou a reportagem do ClickPB, em diversos cemitérios do estado a organização do instituto disponibiliza locais para doações. Em entrevista ao Fantástico, George Batista detalhou a queda no número de doações este ano.

“A arrecadação girava em torno de R$ 50, 60 mil reais. Arrecadamos R$ 13 mil”, citou. 

Falta de documentações

Na matéria da TV Globo, um dos entrevistados é Dennis Carneiro, promotor de Justiça do Gaeco. Ele cita a falta de organização nas documentações do instituto que mantém o Padre Zé. “O dinheiro transitava da forma que ele (Egídio) queria, da forma que ele queria. Isso tudo aliado a uma completa e absoluta desorganização documental. O Instituto São José tem quase nenhum documento patrimonial. De acervo, de estoque, nenhum”.

Em outro trecho ele detalha “O dinheiro transitava da forma que ele (Egídio) queria, da forma que ele queria. Isso tudo aliado a uma completa e absoluta desorganização documental. O Instituto São José tem quase nenhum documento patrimonial. De acervo, de estoque, nenhum”. 

Prisão

Como trouxe o ClickPB, na última sexta-feira (17) o  padre Egídio de Carvalho e as ex-diretoras do Hospital Padre Zé,  Amanda Duarte e Jannyne Dantas, foram presos pela Polícia Civil.
(17). Os mandados de prisão foram autorizados pelo desembargador Ricardo Vital, do Tribunal de Justiça da Paraíba após recurso do Ministério Público da Paraíba.

Conforme apurou o ClickPB, os desvios aconteceram entre 2013 e setembro deste ano.

Os atos ilícitos que são investigados são relacionados a desvios de recursos provenientes de programas sociais essenciais, como da distribuição de refeições a moradores de rua, amparo a famílias refugiadas da Venezuela, apoio a pacientes em pós-alta hospitalar, realização de cursos profissionalizantes, preparação de alunos para o ENEM, cuidados de pacientes com HIV/AIDS, entre outros. A investigação aponta ainda que os desvios comprometeram o atendimento a populações carentes e necessitadas atendidas pelo Hospital Padre Zé.

| LEIA MAIS SOBRE O ESCÂNDALO ENVOLVENDO EGÍDIO DE CARVALHO:

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Justiça da Argentina liberta Fabrícia Farias mas a proíbe de sair do país até julgamento de extradição; confira documento

2

Paraíba

Tribunal de Justiça da Paraíba mantém condenação ao Bradesco para indenizar consumidor que teve nome negativado

3

Paraíba

URGENTE: Fabrícia Farias, dona da Braiscompany, é solta por decisão da Justiça da Argentina, diz defesa

4

Paraíba

Borboletas amarelas invadem João Pessoa e especialista comenta fenômeno: “época de reprodução”

5

Paraíba

Operação Lei Seca autua 183 condutores por embriaguez no mês de fevereiro na Paraíba