Desvio

ESCÂNDALO: Padre Egídio, Amanda e Jannyne usam dinheiro do hospital para comprar carro e depois o alugam de volta à instituição

Consta nos documentos que Amanda Duarte teria sacado a quantia de R$ 122 mil de uma conta bancária do Instituto São José para que a compra do veículo fosse efetivada.

ESCÂNDALO: Padre Egídio, Amanda e Jannyne usam dinheiro do hospital para comprar carro e depois o alugam de volta à instituição

O esquema teria sido totalmente comandado pelo padre Egídio de Carvalho — Foto:Reprodução

O padre Egídio de Carvalho é apontado como mentor de um conluio com outras integrantes da direção do Hospital Padre Zé para viabilizar desvio de recursos públicos. Como apurou o ClickPB, o padre Egídio juntamente com Amanda Duarte e Jannyne Dantas compraram um carro modelo Spin com dinheiro do próprio Hospital Padre Zé para posteriormente aluga-lo de volta à instituição, recebendo os valores mensalmente.

O ClickPB teve acesso, com exclusividade, a documentos oficiais da investigação que explicam todo o combinado. Segundo apurou o ClickPB, o carro modelo Spin de ano 2022 e com placa QFF-0E31 pertence a Jannyne Dantas, mas teria sido adquirido por Amanda Duarte sob ordens do Padre Egídio. Jannyne ocupava o cargo de diretora administrativa do Hospital Padre Zé, já Amanda era a tesoureira da instituição.

Consta nos documentos que Amanda Duarte teria sacado a quantia de R$ 122 mil de uma conta bancária do Instituto São José para que a compra do veículo fosse efetivada. O cheque teria sido subscrito por Amanda Duarte e sacado por Jannyne Dantas. O esquema teria sido totalmente comandado pelo padre Egídio de Carvalho.

Após o carro ter sido adquirido com dinheiro do próprio Instituto São José, o grupo conseguiu locar o mesmo veículo de volta ao Instituto São José. Conforme apuração do ClickPB, o Instituto São José realizava o pagamento mensal de R$ 3.572 pela locação do carro que havia sido adquirido com dinheiro do próprio Instituto.

No início de outubro foi deflagrada a operação Indignus após virem à tona denúncias de um esquema de furtos e desvios das doações e recursos públicos recebidos pelo Hospital Padre Zé. A unidade de saúde, localizada em João Pessoa, era dirigida pelo padre Egídio.

Ainda no mês de setembro o padre Egídio foi afastado da direção do Hospital Padre Zé pela Arquidiocese da Paraíba. Uma nova equipe foi designada para comandar a unidade de saúde e determinou, inclusive, a realização de auditorias.

Como acompanhou o ClickPB, a Arquidiocese revelou que o padre Egídio havia contraído o valor de R$ 13 milhões em empréstimos em nome do Hospital Padre Zé. A destinação deste dinheiro ainda não foi revelada.

A principal suspeita é de que o padre Egídio desviava o dinheiro da instituição para benefício próprio.

A Operação Indignus cumpriu mandados em dez imóveis que seriam do padre Egídio, dentre eles uma granja na cidade de Conde e apartamentos em prédios de luxo na orla de João Pessoa.  Como trouxe o ClickPB, os investigadores encontraram nos locais muito luxo e itens de ostentação. Os imóveis eram equipados com lustres e projetos de iluminação requintados. Também chamou atenção que na granja havia móveis rústicos de madeira avaliados em R$ 3 milhões, além de 30 cães da raça Lulu da Pomerânia. Uma pesquisa do ClickPB revelou que um cão desta raça pode ser comercializado por até R$ 10 mil.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Justiça da Argentina liberta Fabrícia Farias mas a proíbe de sair do país até julgamento de extradição; confira documento

2

Paraíba

Tribunal de Justiça da Paraíba mantém condenação ao Bradesco para indenizar consumidor que teve nome negativado

3

Paraíba

URGENTE: Fabrícia Farias, dona da Braiscompany, é solta por decisão da Justiça da Argentina, diz defesa

4

Paraíba

Borboletas amarelas invadem João Pessoa e especialista comenta fenômeno: “época de reprodução”

5

Paraíba

Operação Lei Seca autua 183 condutores por embriaguez no mês de fevereiro na Paraíba