Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Vulnerável

Homem é condenado a mais de nove anos de prisão acusado de estuprar criança por três anos

A vítima narrou com riqueza de detalhes os abusos sofridos, bem como que já havia tentado contar várias vezes para sua avó, mas esta achava que era apenas brincadeira.

Por

O juiz Brâncio Barreto Suassuna, da 3ª Vara Criminal da Comarca de Campina Grande, condenou Raphael Talles Campos a uma pena de 9 anos e 4 meses de reclusão pelo crime de estupro de vulnerável, a ser cumprida inicialmente em regime fechado. A decisão, proferida nos autos da ação, foi publicada nesta terça-feira (21) no Diário da Justiça eletrônico do TJPB.

Na denúncia, o Ministério Público relata que, entre os anos de 2015 a 2018, no interior da residência da avó materna da vítima, o acusado, aproveitando-se da relação de parentesco, praticou, por diversas vezes, atos libidinosos com a menor, que contava, na época, com nove anos de idade. No dia 25/12/2018, após mais um abuso sofrido, a vítima confidenciou o crime para seus pais que, de imediato, se dirigiram à Delegacia de Polícia e formalizaram boletim de ocorrência.

Na sentença, o juiz destacou o parecer psicológico, assinado por Fernanda de Araújo Farias, psicóloga do Creas III, no qual consta a informação de que a vítima narrou com riqueza de detalhes os abusos sofridos, bem como que já havia tentado contar várias vezes para sua avó, mas esta achava que era apenas brincadeira. De igual modo, os depoimentos da mãe e da avó da vítima afirmam o ocorrido, aduzindo que a menor relatou algumas vezes as investidas do acusado, mas todos acreditavam tratar-se de simples brincadeiras.

O acusado negou as acusações, mas para o juiz Brâncio Barreto a materialidade e a autoria do crime restaram devidamente comprovadas. “Os depoimentos pessoais colacionados nos autos, especialmente o da vítima, foram suficientes para responsabilizar penalmente o acusado”, ressaltou o magistrado em sua sentença.

Da decisão cabe recurso.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Concurso Público de Cabedelo adia data das provas

Paraíba registra a 9ª menor renda domiciliar per capita do país, revela Pnad

Inmet alerta para chuvas intensas em 79 cidades da PB

CRM-PB interdita posto de Saúde após médica ser vítima de assédio em Lastro, Sertão da PB