Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Engano

Idosa é enterrada no lugar de homem em Gado Bravo após troca de corpos ocorrer em hospital de Campina Grande

O corpo da idosa teve que ser desenterrado para que a troca fosse desfeita. Secretaria de Saúde de Campina Grande instaurou processo administrativo para apurar responsabilidades.

Os dois pacientes estavam internados no Hospital Pedro I e morreram de covid-19 (Foto: Reprodução)

Por

O corpo de uma mulher de 80 anos foi enterrado na última segunda-feira (25), na cidade de Gado Bravo, no Agreste paraibano, no lugar do corpo de um homem de 54 anos, após um engano ocorrido no Hospital Pedro I, em Campina Grande, onde ambos morreram de covid-19. Na terça-feira (26), o hospital entrou em contato com a prefeitura de Gado Bravo, informando sobre o equívoco.

De acordo com a secretária de saúde de Gado Bravo, Anna Francielly Barbosa, dois moradores do município estavam internados no hospital com Covid-19 e um acabou morrendo na segunda-feira. Um familiar esteve no local para reconhecer o corpo, que foi levado para o cemitério da Gado Bravo, localizado a cerca de 56 quilômetros de Campina Grande.

Na terça-feira, porém, o hospital entrou em contato com a secretaria informando que o corpo ainda estava na unidade de saúde e que só perceberam a troca quando a família da mulher foi reconhecer o corpo dela.

"O hospital fez todo o procedimento e documentação legal para ser feita a troca dos corpos. O pessoal do hospital foi até Gado Bravo pegar o corpo e levaram o dele para a cidade, onde já foi enterrado", explicou a secretária.

Uma nora da idosa denunciou o caso para a polícia na quarta-feira (27), para que o corpo da paciente fosse liberado para o sepultamento com mais agilidade. De acordo com o registro de ocorrência, a idosa se chamava Rita de Alcântara, era aposentada e morava no complexo habitacional Aluízio Campos.

Ela foi internada no Hospital Pedro I no dia 22 de maio e a família foi informada na terça-feira (26) sobre a morte, que havia ocorrido no dia anterior.


Quando a nora da idosa, Maria Dalva, foi fazer o reconhecimento do corpo, percebeu que havia um homem no lugar da sogra.


A Secretaria de Saúde de Campina Grande divulgou nota informando que está instaurando um processo administrativo para apurar as responsabilidades no caso. Leia na íntegra:

A Secretaria de Saúde de Campina Grande informa que está instaurando um processo administrativo para averiguar as responsabilidades no equívoco ocorrido no dia 25 deste mês, durante o processo de liberação de corpos de pacientes que vieram a óbito no Hospital Municipal Pedro I.

A Secretaria de Saúde esclarece ainda que as famílias fizeram o reconhecimento presencial dos corpos, conforme determina o protocolo do hospital. No entanto, com a apreensão diante de uma possível transmissão da Covid-19, além do momento de luto, infelizmente, contribuiu para equívocos por parte dos familiares durante o processo.

Por fim, a Secretaria de Saúde lamenta profundamente o ocorrido e garante que está dando todo suporte às famílias envolvidas na resolução da situação o mais breve possível, otimizando também os procedimentos relativos à essa etapa de liberação de corpos das vítimas no hospital.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Empresário José Carlos, dono do Grupo São Braz e da Rede Paraíba de Comunicação, morre vítima de covid-19

Motorista perde controle de veículo e derruba muro de residência em Campina Grande

Bispo de Patos é contra tornar igreja atividade essencial: ''não é hora de lutar em defesa de interesse de grupos''

Mercado Central será interditado para obras de emergência em João Pessoa