Indignus

LUXO: Móveis rústicos encontrados pela polícia na granja do Padre Egídio somam R$ 3 milhões

Agora é o valor dos móveis rústicos que decoravam a sala da granja dele, no município de Conde, que deixa todo mundo boquiaberto.

Caso padre zé

Padre Egídio de Carvalho é acusado de comandar esquema de desvios milionários, em hospital da PB. (foto: reprodução/arquivo/redes sociais)

A acervo de luxo e riqueza do Padre Egídio de Carvalho, ex-diretor do Hospital Padre Zé, em João Pessoa, não para de causar espanto entre os paraibanos. Depois de vinhos importados e fogão no valor de R$ 80 mil, como noticiado pelo ClickPB, agora é o valor dos móveis rústicos que decoravam a sala da granja dele, no município de Conde, que deixa todo mundo boquiaberto.

Juntos, os móveis somam R$ 3 milhões. A informação foi repassada pelo jornalista Clilson Júnior, durante o programa Arapuan Verdade desta quinta-feira (05), mesmo dia em que o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado da Paraíba, deflagrou a Operação Indignus que investiga condutas criminosas por parte do religioso durante sua gestão no hospital.

A operação foi deflagrada em parceria com a Polícia Civil da Paraíba, Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social, Secretaria de Estado da Fazenda da Paraíba e pela Controladoria-Geral do Estado da Paraíba.

O objetivo da força-tarefa é apurar os fatos que indicam possíveis condutas criminosas ocorridas no âmbito do Instituto São José, do Hospital Padre Zé e da Ação Social Arquidiocesana/ASA. Segundo as investigações há indícios de possíveis desvios de recursos públicos destinados a fins específicos, por meio da falsificação de documentos e pagamento de propinas a funcionários vinculados às referidas entidades.

Ao menos três caixas com vinhos internacionais também foram encontrados durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Segundo apurou a reportagem do ClickPB, cada caixa teria ao menos seis exemplares da bebida. O que chama atenção é que o vinho, ano 2015, é vendido em média por até R$ 1.660 na internet, com isso os valores de bens apreendidos, apenas em vinhos, pode chegar a quase R$ 30 mil (R$ 29.916). 

Além disso, foram encontradas outras bebidas, como champagne. Algumas garrafas chegam a valer até R$ 30 mil, a unidade.

Além do vinho, um fogão no valor de R$ 80 mil estava entre os objetos de luxo encontrados na cozinha de ostentação do Padre Egídio. Uma busca rápida na internet e é possível achar o fogão Lofra Dolcevita por 78.390,00, à vista. Na compra a prazo, os juros tornam o equipamento ainda mais caro.

Mas, o escândalo que envolve o Padre Egídio enquanto era diretor do Hospital Padre Zé, não veio à tona hoje e começou com a denúncia de furto de celulares que foram doados à instituição pela Receita Federal. 

O ClickPB relembra todo o histórico do escândalo no link abaixo.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

Banco é condenado a devolver Pix que cliente enviou para pessoa morta, na Paraíba

2

Paraíba

“Traz problemas e a pandemia nos mostrou isso”, afirma João Azevêdo sobre liberação das fogueiras de São João na Paraíba 

3

Paraíba

João alfineta e diz que nenhum partido terá “ações limitadas” por indefinição de Romero sobre disputa pela Prefeitura de Campina Grande

4

Paraíba

Motociclista morre após moto bater em carro na BR-230

5

Paraíba

Patos: Terreiro do Forró será ampliado, anuncia prefeitura