Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Parecer do MPC

Ministério Público de Contas constata fraude na compra de ações da Lifesa por Daniel Gomes e pede anulação de negócio

O MPC pede que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) julgue pela procedência da representação e declare a compra das ações como ilegal, ilegítima e lesiva ao patrimônio público.

O MPC pediu que sejam formalizados os procedimentos para a anulação de negócio jurídico que foi realizada com a TROY SP. (Foto: Divulgação)

Por

Após a divulgação das delações premiadas feitas pelo empresário Daniel Gomes no âmbito da Operação Calvário, o Ministério Público de Contas (MPC) instaurou dois processos de inspeção especial no Laboratório Industrial Farmacêutico da Paraíba S/A (Lifesa) constatando fraude na compra de ações do laboratório pela empresa TROY SP. O relatório e a representação do Ministério Público de Contas sobre o caso foram divulgados nesta sexta-feira (13).

O MPC pede que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) julgue pela procedência da representação e declare a compra das ações como ilegal, ilegítima e lesiva ao patrimônio público, já que foi feita de forma fraudulenta.

Saiba mais

Delator da Operação Calvário revela compra do Laboratório Público da Paraíba (Lifesa) e Ricardo Coutinho era o sócio oculto

Além disso, o MPC pediu que sejam formalizados os procedimentos para a anulação de negócio jurídico que foi realizada com a TROY SP. Também foi pedida a representação ao Ministério Público Comum e à Procuradoria Geral do Estado para requisitar as providências necessárias.

Eis um trecho do relatório:

Pois bem, no âmbito da operação Calvário, o delator DANIEL GOMES, no anexo 10 de sua colaboração premiada, informa ter adquirido 49% das cotas da LIFESA através da empresa TROY SP PARTICIPAÇÕES, colocada em nome de dois diretores que trabalhavam para ele: SÉRGIO MOTA E MAURÍCIO NEVES.

Ademais, atesta o delator que atendeu ao pedido do ex-governador RICARDO COUTINHO, o qual passou a ser detentor de fato de 5% das cotas da Companhia, o que foi formalizado através da detenção de 10% das ações da TROY por uma terceira empresa, a qual teria como acionistas pessoas indicadas pelo ex-governador, quais sejam: DENISE KRUMMENAUER PAHIM E BRENO DORNELLES PAHIM NETO.

A venda das ações da LIFESA à TROY foi realizada em 2014, assim como um relevante aumento do capital social. Ocorreu que a companhia não prestou contas ao TCE nos exercícios de 2013 e 2014. Em razão disto, esta Corte de Contas instaurou dois processos de Inspeção Especial de Contas, sendo o PROC TC no 13931/16 referente ao exercício de 2013 e o PROC TC no 13932/16, referente ao exercício de 2014.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

TRF5 acolhe recurso do MPF e restabelece suspensão temporária da circulação de trens da CBTU

Supermercado registra aglomeração em João Pessoa e consumidor denuncia falta de controle

Prefeito de João Pessoa afirma que medidas mais rígidas são última etapa antes do retorno gradual das atividades

Pessoas com diabetes terão prioridade de atendimento em comércio e órgãos públicos da Paraíba