Polêmica

Ministério Público quer veto a projeto que proíbe crianças na Parada Gay em João Pessoa

A recomendação do Ministério Público Estadual está assinada pelas promotoras Fabiana Maria Lobo da Silva e Liana Espínola Pereira de Carvalho que consideraram a matéria inconstitucional.

Ministério Público quer veto a projeto que proíbe crianças na Parada Gay em João Pessoa

As promotoras que assinam a recomendação consideraram a matéria inconstitucional — Foto:Reprodução

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está recomendando ao prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), que vete o Projeto de Lei aprovada na Câmara Municipal nessa terça-feira (07), que proíbe a presença de crianças na Parada Gay a ser realizada em João Pessoa. Como noticiou o ClickPB, a proposta foi apresentada pelo vereador Tarcísio Jardim.

A recomendação do Ministério Público Estadual está assinada pelas promotoras Fabiana Maria Lobo da Silva e Liana Espínola Pereira de Carvalho que consideraram a matéria inconstitucional. 

“O Ministério Público da Paraíba, ante a flagrante e insuperável inconstitucionalidade do Projeto de Lei 1527/2023, pautado na atuação preventiva e resolutiva das demandas jurídico-sociais, resolve recomendar, na forma do art. 6º, XX, da Lei Complementar nº 75/93, ao Excelentíssimo Senhor Prefeito Municipal de João Pessoa, Cícero Lucena, o exercício de sua atribuição constitucional de veto à referida proposta legislativa, conforme atribuição conferida pelo art. 60, IV, da Lei Orgânica do Município de João Pessoa”.

Para as magistradas consideram que a “existem famílias compostas por pessoas LGBTQIA+ e que é histórico e tradicional preconceito contra essas pessoas, como se sua mera homossexualidade e homoafetividade conjugal fossem geradoras de alguma espécie de desrespeito à família, o que é pura e simples homofobia, por ser uma fala que tem em si imanente a negação da igual dignidade e do igual respeito e consideração que merecem as famílias homoafetivas relativamente às famílias heteroafetivas em um Estado Laico, em que o Supremo Tribunal Federal muito bem destacou que o reconhecimento e a proteção das famílias homoafetivas não traz nenhum prejuízo à proteção das famílias heteroafetivas”.

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

BRAISCOMPANY: Antônio Neto e Fabrícia Ais são presos na Argentina, após mais de um ano foragidos

2

Paraíba

Paraíba lança edital para adesão de instituições de ensino superior públicas e privadas ao Programa de intercâmbio

3

Paraíba

Sindicato da Paraíba defende pagamento por hora trabalhada e vínculo sem CLT a motoristas por aplicativo

4

Paraíba

Paraíba confirma terceira morte por dengue e outros dois casos estão em investigação

5

Paraíba

TRT determina afastamento de Buega Gadelha da presidência da Fiep