EXCLUSIVO

Padre Egídio e alto escalão do Hospital Padre Zé são alvos da operação do Gaeco contra suposta organização criminosa

Segundo as investigações há indícios de possíves desvios de recursos públicos destinados a fins específicos, por meio da falsificação de documentos e pagamento de propinas a funcionários vinculados às referidas entidades.

padre, Egídio, Justiça

Padre Egídio de Carvalho (Foto: reprodução)

O padre e ex-diretor do Hospital Padre Zé, Egídio de Carvalho, é um dos alvos dos mandados de busca e apreensão da operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (05) pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco). Conforme apurou o ClickPB com exclusividade, além do pároco outras pessoas da administração do hospital também são alvos. 

Entre estas pessoas está a diretora administrativa do hospital, Jannyne Dantas e a tesoureira da unidade hospitalar filantrópica, a Amanda Duarte. Segundo apurou o ClickPB com exclusividade, a operação tem como objetivo apurar os fatos que indicam possíveis condutas criminosas ocorridas no âmbito do Instituto São José, do Hospital Padre Zé e da Ação Social Arquidiocesana/ASA. 

As investigações apontam que há indícios de possíves desvios de recursos públicos destinados a fins específicos, por meio da falsificação de documentos e pagamento de propinas a funcionários vinculados às referidas entidades. De acordo com o jornalista Clilson Júnior, os imóveis relacionados aos alvos da operação estão localizados nos seguintes locais: 

  • Uma granja no Conde, na comunidade Guaxinduba, Litoral Sul da Paraíba;
  • Dois apartamentos no edifício Ilha dos Corais, no Cabo Branco;
  • Dois apartamentos no edifício Saulo Maia, também no Cabo Branco;
  • Um apartamento no edifício Jardim do Atlântico, no Cabo Branco;
  • Um apartamento no residencial Luxor Paulo Miranda, no Cabo Branco;
  • Um apartamento em um edifcío no residencial Ville Jardim, bairro Jardim Cidade Universitária;
  • Um apartamento em um edifício nas proximidades da praça da Paz, nos Bancários;

Conforme apurou o ClickPB, além destes alvos, também há um mandado sendo cumprido em São Paulo (SP).

ESCÂNDALO DOS TELEFONES

A existência de uma suposta organização criminosa no Hospital Padre Zé, na Zona Norte de João Pessoa, veio a tona no último mês devido a denúncia do suposto desvio de telelefones celulares de luxo, doados pela Receita Federal, a unidade de saúde. Como trouxe o ClickPB, um
ex-funcionário da unidade é suspeito de ter causado um rombo de mais de meio milhão de reais por meio do furto e venda dos aparelhos. 

Os mesmos foram destinados pela Receita Federal ao hospital para auxiliar nas finanças da unidade, o que segundo as investigações não teria sido cumprido. São alvos da investigação Samuel Rodrigues Cunha, o ex-funcionário e a administração do hospital à época, que inclui o
agora ex-diretor, pároco Egídio. 

PADRE FOI AFASTADO DA IGREJA

Devido ao escândalo, o pároco renunciou a direção da unidade hospitalar. A igreja católica, por meio do arcebispo Dom Manoel Delson, proibiu o padre Egídio de Carvalho Neto de realizar qualquer tipo de sacramento na Igreja Católica até o fim das investigações sobre o
escândalo do furto de celulares no Hospital Padre Zé. 

Conforme verificou o ClickPB, o religioso fica impedido de celebrar casamentos, batizados e cerimônias de crisma, por exemplo. O comunicado da Arquidioce foi feito nesta quarta-feira (27), como acompanhou o ClickPB.

Leia mais sobre o tema: 

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

No Altas Horas, Chico César relembra época que trabalhava em loja na Paraíba

2

Paraíba

VÍDEO: influencer de 94 anos viraliza com conteúdo em que elogia João Pessoa

3

Paraíba

VÍDEO: ônibus perde o controle e tomba na BR-230 em Sobrado

4

Paraíba

Nilvan discute prioridades para os jovens durante plenária

5

Paraíba

Cidade na Paraíba com 4 mil habitantes gasta quase R$ 1 milhão com shows