Gasto

Prefeitura de Santa Rita vai torrar R$ 220 mil com show de Aline Barros; gasto com atrações do São João ultrapassa R$ 1,7 milhão

Prefeitura de Santa Rita assinou contrato para o show com a empresa Criative Music LTDA. A contratação ocorreu por inexigibilidade de licitação.

Aline Barros, Prefeitura, Santa, Santa Rita, Show, São João

Aline Barros (Foto: reprodução)

A Prefeitura de Santa Rita vai gastar R$ 220 mil com o show da cantora Aline Barros para o São João. O gasto foi verificado pelo ClickPB neste domingo (19).

Conforme contrato publicado no Diário dos Municípios, o contrato foi feito entre a Prefeitura e a empresa Criative Music LTDA. A contratação ocorreu por inexigibilidade de licitação.

Gastos de Santa Rita ultrapassam R$ 1,7 milhão

Desde o anúncio das atrações, o ClickPB vem monitorando os gastos com a festa. No total, os valores com cachês chegam a R$ 1.790.000,00. No entanto, até agora, apenas oito das 65 atrações tiveram os gastos divulgados. Confira abaixo a relação das atrações com cachês já divulgados:

  • Bell Marques: R$ 500 mil;
  • Saia Rodada: R$ 300 mil;
  • Aline Barros: R$ 220 mil
  • Mara Pavanelly: R$ 200 mil;
  • Avine Vinny: R$ 150 mil;
  • Fulô de mandacaru: R$ 150 mil;
  • Vicente Nery: R$ 150 mil;
  • Bonde do Brasil: R$ 120 mil;

Tribunal de Contas recomendou suspensão dos contratos milionários

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) mandou suspender todos os contratos do São João de Santa Rita. A festa envolve cachês de alto valor com vários artistas de fama nacional, como o cantor Bell Marques que foi contratado por R$ 500 mil (meio milhão de reais).

Como apurou o ClickPB, a auditoria analisou as contratações para o São João de 2024, anunciadas pela Prefeitura de Santa Rita com uma grade de 65 artistas, alguns de fama nacional e com “altíssimos valores de cachês”.

A medida considera denúncia feita por um empresário da cidade, Nicola Lomonaco, que apontou “impossibilidade da contratação de artistas de grande renome nacional para o São João de Santa Rita/PB, edição 2024, no entendimento de que o referido Município enfrentaria situação desequilíbrio financeiro, e que o referido gasto acarretaria inadimplementos de pagamentos prioritários, a exemplo da falta de cumprimento do PCCR e reajuste salarial dos servidores públicos efetivos, que se encontraria com os vencimentos deficitários, e atraso no pagamento de fornecedores.”

O relatório da auditoria do TCE-PB registra que “o contexto das acusações trazidas ao conhecimento deste Tribunal de Contas recomenda confrontar as despesas com festividades com a situação geral das contas de Santa Rita/PB, a partir do Processo de Acompanhamento de Gestão – PAG 2023, no qual se registra que, entre janeiro até julho, o respectivo gasto foi de R$ 5.446.400,00 (Proc. 00402/23, fls. 830).”

Ainda segundo a auditoria do Tribunal de Contas, há indícios de déficit financeiro na Prefeitura. “A partir de números apenas aproximados, considerando que a Prestação de Contas Anual de 2023, nesta data, não consta com instrução inicial (Proc. 02234/24), o confronto entre receitas e despesas aponta para indícios de déficit de R$ 19.810.085,332, também evidenciados pelo Observatório SAGRES3, que mostra índice de 0,96 de equilíbrio de contas em Santa Rita.”

Na conclusão, ainda segundo verificou o ClickPB, os auditores entendem que a denúncia é parcialmente procedente por entender que, mesmo com a aplicação dos percentuais mínimos no FUNDEB, MDE e ASPS, “a análise dos aspectos gerais das contas de Santa Rita recomenda a priorização dos gastos em áreas sensíveis (Saúde e Educação). Por conseguinte, entende-se que a denúncia é PARCIALMENTE PROCEDENTE.”

“Assim, preenchidos os requisitos regimentais do art. 195, § 1o, do Regimento Interno do TCE-PB, recomenda-se fortemente a SUSPENSÃO CAUTELAR dos atos administrativos que envolvem a realização do evento “São João de Santa Rita/PB – edição 2024”, no estado em que se encontrarem, até ulterior manifestação deste Tribunal de Contas, sem prejuízo da imediata COMUNICAÇÃO ao Ministério Público Estadual, Promotoria com atuação em Santa Rita/PB, para conhecimento deste processo, e providências que entender cabíveis”, diz a auditoria do TCE-PB.

A Prefeitura de Santa Rita até hoje (17) não divulgou os valores dos contratos de Gusttavo Lima, Wesley Safadão, João Gomes e Maiara e Maraisa. Segundo fontes, a estratégia seria enganar o TCE-PB.

O contrato de Gusttavo Lima seria de R$ 1,1 milhão e o de Safadão, R$ 900 mil. O cantor João Gomes teria sido contratado por R$ 600 mil e a dupla Maiara e Maraisa estaria contratada por R$ 800 mil.

Leia também:

Veja abaixo o contrato entre a Prefeitura e a empresa:

COMPARTILHE

Bombando em Paraíba

1

Paraíba

FOTOS: Incêndio destrói cinco ônibus em garagem em João Pessoa

2

Paraíba

Procon quer notas fiscais e notifica posto que vende gasolina a R$ 6,50, na Paraíba

3

Paraíba

Francisco Fidelis: 90 anos do Quinto Constitucional e a importância da advocacia no Poder Judiciário da Paraíba

4

Paraíba

Congestionamento de 4 km para trânsito da BR-230 em João Pessoa; saiba qual trecho

5

Paraíba

Procurador Geral diz que Joao Azevêdo não vai se envolver na disputa para desembargador no Tribunal de Justiça